Passo a Passo de como sair das dívidas rapidamente + 12 Dicas Extras

Se você quer saber como se livrar das dívidas em pouco tempo, saiba que é fundamental seguir algumas etapas para que isso aconteça. Confira!

Artigo escrito por Janaína Tavares em 23 de Março de 2021

Casal se organizando para ver como sair das dívidas

Ninguém dorme tranquilo tendo dívidas, principalmente no Brasil, onde as taxas de juros para o consumidor são altíssimas.

Assim, muitas pessoas se perguntam como sair das dívidas, mas não têm ideia de como lidar com a situação e se livrar das pendências financeiras.

A boa notícia é que, com determinação e um bom planejamento financeiro, é possível se livrar das dívidas.

Por isso, neste artigo, vamos te mostrar o passo a passo para quem quer sair de vez das dívidas e conquistar a tão sonhada liberdade financeira, além de 12 dicas extras.

Antes disso, vale lembrar que, por mais que sua relação com o dinheiro não seja uma das melhores, é possível reverter essa situação e mudar de vida!

Quer descobrir como sair das dívidas? Então, confira nosso conteúdo completo.

Boa leitura.

Como sair das dívidas rapidamente: Passo a passo

1. Saiba quais são suas dívidas

O primeiro passo para se livrar das dívidas rapidamente consiste em conhecê-las! Nesta etapa, o mais importante é fazer uma pesquisa completa, e assim, levantar os seguintes dados:

  • Tipo de dívida;
  • Credor;
  • Valor inicial;
  • Valor atual;
  • Custo efetivo total (juros + taxas);
  • Quantidade de meses.
Exemplo de planilha que pode te ajudar no processo de como conseguir sair das dívidas
Baixe Grátis a nossa planilha de levantamento das dívidas

Nessa planilha, você pode ver um exemplo de como deve listar e acompanhar todas suas dívidas. Nesta fase, não precisa se preocupar necessariamente em definir uma ordem de pagamento, mas sim ter certeza que todas suas dívidas estão presentes.

Entretanto, o recomendado é que, após isso, ordene suas dívidas em ordem decrescente da taxa de juros. Assim, fica mais fácil de saber qual deve priorizar na hora da negociação e pagamento.

Nesse sentido, uma dica interessante é pesquisar seu nome em plataformas de negociação de dívidas online como:

2. Faça o seu diagnóstico financeiro

Para se organizar e poder pagar as suas dívidas, é fundamental que você realize o diagnóstico da sua situação financeira atual.

Ou seja, de forma resumida, é importante saber exatamente o quanto você ganha, o quanto e como você gasta seu dinheiro e quais são suas suas dívidas.

Pois, assim como um médico não consegue passar um tratamento adequado sem ter um diagnóstico eficiente, nas finanças, você precisa primeiro responder algumas perguntas:

  • Quanto você ganha por mês?
  • Quanto você gasta por mês?
  • Qual parcela do seu dinheiro está comprometida com dívidas?
  • Quais são as suas despesas fixas e variáveis?
  • Quanto você precisaria por mês caso acontecesse algum imprevisto (como o desemprego)?

E a melhor e mais precisa maneira de realizar um bom diagnóstico financeiro é assumindo um compromisso de registrar todos os seus gastos e ganhos mensais.

Este é um dos passos mais importantes para quem busca sair das dívidas rapidamente.

3. Monte seu plano de ação

Agora que você conhece todas as suas dívidas, está na hora de começar a definir seu o plano de ação.

Primeiramente, você deverá definir uma ordem de prioridade. Portanto, faça uma lista com as dívidas que serão pagas ou negociadas primeiro.

Além disso, priorize as dívidas com as maiores taxas de juros, como o cheque especial e o rotativo do cartão, pois eles possuem um efeito bola de neve que faz com que o juros atinja patamares acima de 200% ao ano.

Sob o mesmo ponto de vista, uma dica muito valiosa para um bom plano de ação é trocar uma ou mais dívidas com juros altos por uma nova dívida com juros mais baratos

Para ficar mais claro, imagine que você esteja devendo R$ 1 mil no cartão com juros de 10% ao mês e R$ 500 no cheque especial a 7% ao mês.

Uma boa solução para esse caso é contratar, por exemplo, um empréstimo pessoal de R$1.500 a 3% ao mês e quitar as dívidas mais caras, e concentrar seus pagamentos somente na nova dívida.

Com isso você tanto trocou uma dívida mais cara por uma mais barata como também fez o que chamamos de consolidação de dívidas, facilitando assim sua vida financeira.

4. Comece as negociações de dívidas

Após ter a lista de todas suas dívidas na mão, chegou finalmente a hora de negociar. Logo, por ordem de prioridade, entre em contato com cada um dos credores e mostre sua intenção de chegar a um acordo que seja justo para ambos os lados.

Você vai se impressionar com as possibilidades de boas negociações, porém é importante lembrar que você só deve ir para essa fase de negociação se tiver condições de cumprir o que for acordado.

Planilha que pode ser útil se você ainda não sabe como sair das dívidas definitivamente
Planilha que pode ser útil se você ainda não sabe como sair das dívidas definitivamente

Após as negociações, registre os novos valores e encaixe-os em seu orçamento mensal para que, assim, você tenha bem claro quando irá conseguir pagar todas suas dívidas.

5. Identifique e diferencie os gastos para sair das dívidas

Planejar bem os gastos e economizar dinheiro é essencial para sua organização financeira. Portanto, é preciso identificar e diferenciar suas despesas.

Existem diversos métodos de distribuição de renda, um deles é a regra 50-30-20. Mas, independente de qual sua escolha, é recomendado que separe suas despesas essenciais dos desejos pessoais, por exemplo.

Isso te ajuda também no sentido emocional, já que ter suas necessidades em mente pode te estimular a seguir as demais dicas.

Além disso, saiba onde está cada gasto familiar. Isso é uma das coisas mais importantes para a organização das finanças.

Uma boa dica para identificar os gastos é usar um aplicativo de controle financeiro para fazer o acompanhamento das suas despesas.

Assim, você deve ter em mente que tudo precisa ser registrado: salários, aluguel, pensão, rendimentos extras, gastos grandes e pequenos. Com essa prática, é comum se impressionar com o quanto é gasto sem que a gente perceba.

6. Utilize um gerenciador financeiro ou monte uma planilha

Não importa se o gasto é pequeno ou grande. Você deve acompanhar todos os gastos em um gerenciador financeiro ou usar uma planilha de gastos para sair do endividamento.

Adicione todas as suas despesas no gerenciador financeiro: aluguel, conta de luz, conta de água, supermercado, alimentação, educação, telefone, entre outras.

Tela de despesas do Mobills
Despesas registradas no Mobills

Não deixe de registrar os pequenos gastos também, como um picolé que você comprou na rua, por exemplo. Ao deixar esses pequenos gastos de fora, você pode estar subestimando despesas que pesam no final do mês.

7. Crie metas realistas para se livrar das dívidas

Criar metas e objetivos é importante para ajudar na realização de sonhos e planos de vida. Porém, também é importante estabelecer metas que sejam possíveis de serem alcançadas.

Defina objetivos e metas no Mobills

Assim, trace metas de redução de gastos que possam ser cumpridas e, quando cumpridas, crie novas metas.

Faça um planejamento para seguir e verifique com frequência se ele está caminhando corretamente, fazendo os ajustes sempre que necessário.

Dessa forma, certamente você terá uma vida financeira muito mais saudável e dará um passo sólido para se livrar de vez das dívidas!

8. Crie um orçamento para sair das dívidas

É fundamental ter os seus gastos mensais organizados e separados em diferentes categorias (educação, moradia, saúde, lazer, dívidas, entre outros).

Nesse sentido, com o controle do seu dinheiro você poderá criar metas e se programar para estabelecer valores, dentro de um orçamento, que poderão ser gastos com cada tipo de categoria a cada mês.

Por exemplo, você pode definir um orçamento com R$ 800 para alimentação, R$ 400 para lazer, R$ 600 para transporte e muito mais. Assim, você deverá acompanhar e garantir que, dentro de condições normais, esses limites serão obedecidos.

Dessa maneira, com esses dados em mãos, é possível avaliar eventuais mudanças e realizar o planejamento do orçamento, definindo o que será destinado para a quitação das dívidas. Com isso, você poderia definir os seus gastos como no exemplo a seguir:

  • 50% para gastos essenciais;
  • 25% para gastos não essenciais;
  • 25% para pagamento de dívidas.

Contudo, ao planejar o orçamento, priorize o pagamento das dívidas. Ou seja, defina para onde o seu dinheiro deve ir, ao invés de se perguntar para onde ele foi.

9. Corte despesas desnecessárias

Cortar os gastos desnecessários é um passo importante para manter o orçamento equilibrado.

Muitas pessoas se endividam porque além de gastar mais do que recebem são, também, vítimas das famigeradas despesas supérfluas.

Isso inclui, só para citar alguns exemplos, aquele delivery quando há comida em casa, a compra de roupas ou calçados que não são realmente necessários, etc.

Então, você pode começar com uma análise do seu orçamento para identificar quais são as despesas que você usa pouco ou poderia encontrar um substituto mais barato.

Exemplo: Planos de assinatura de serviços pouco utilizados (Netflix e Deezer…), taxas que você não precisaria pagar (tarifas bancárias…) e até mesmo atividades que poderiam ser substituídas por opções mais baratas ou até gratuitas.

Comece cortando os gastos desnecessários e, em seguida, busque cortar ou reduzir despesas do dia a dia.

Se você tem dificuldades para resistir a gastos por impulso, experimente algumas estratégias, como sair apenas com dinheiro vivo, deixando o cartão de crédito em casa, por exemplo.

10. Busque uma renda extra para se livrar das dívidas

Certamente, uma das maiores dificuldade encontradas no cenário econômico atual é conseguir colocar a vida financeira em ordem.

Ainda mais em um período de crise, no qual os produtos e serviços se tornam mais caros e o caminho natural para muitas pessoas é cortar o que é considerado supérfluo.

Assim, muito se fala em cortar gastos, mas uma outra estratégia também muito interessante para quem está com a “corda no pescoço” é procurar opções de renda extra para complementar a renda pessoal ou familiar.

Nesse sentido, você pode, por exemplo, investir em um hobby ou aproveitar uma oportunidade que você identificou para poder ganhar um dinheiro extra.

Por exemplo, dar aulas de reforço escolar, escrever textos para blogs, cozinhar para fora, vender fotografias, peças de artesanato ou bijuterias e dar aulas de algum instrumento musical são formas de ganhar um dinheiro extra.

Pessoa fotografando

Outra maneira de conquistar uma renda extra é separando objetos e roupas que não usa mais para a venda. Caso opte por esse caminho, garanta que os itens estejam em bom estado para assegurar a satisfação do cliente com a venda e evitar estresse.

Do mesmo modo, existem ainda outras possibilidades para complementar a renda, como montar uma pequena franquia, trabalhar como motorista de aplicativo, revender produtos na web e até mesmo ser um redator freelancer.

Por último, analise suas possibilidades e o seu tempo disponível e busque uma atividade que seja viável para que você consiga uma renda extra e acelere o processo de saída das dívidas.

11. Previna-se e tenha uma vida mais equilibrada

A última etapa para que as dívidas saiam de vez da sua vida é a prevenção. Afinal, lembrar de todo o processo e sacrifícios feitos para conseguir pagar suas dívidas é crucial para que você não volte nunca mais a situação.

Seja como for, procure viver uma vida equilibrada financeiramente, monte uma reserva financeira e evite gastos por impulso para que nunca mais volte a situação de endividamento.

12 Dicas extras de como sair das dívidas

Lembre-se de ler o contrato com calma

As principais dicas para sair do endividamento você já conferiu. No entanto, ainda existem outras orientações que podem ser úteis para você no momento de se livrar dos débitos pendentes.

A primeira delas está relacionado ao ato de ler o contrato com mais atenção. Mas qual seria o benefício disso durante o processo de quitar as dívidas?

Simples: com uma leitura atenta e cuidadosa, você tem a oportunidade de analisar todas as informações dispostas no documento e verificar se realmente vale a pena assinar ou não.

O mesmo vale para um contrato de renegociação de dívida. Portanto, tenha isso em mente: leia o contrato antes de assinar e tire todas as suas dúvidas.

Pesquise pelos feirões de negociação

Algumas instituições financeiras e empresas privadas (Caixa e Serasa, por exemplo) têm o hábito de promover feirões de negociação pelo país. Portanto, vale a pena checar as divulgações e comunicados do seu banco para ver se ele não está lançando algum feirão nesse sentido.

Acompanhe as redes sociais, dentre outros canais oficiais de comunicação das instituições financeiras para ficar sempre por dentro dessas novidades.

Isso porque, caso você consiga participar de feirão, pode quitar sua dívida por um preço mais acessível, sem desequilibrar seu orçamento.

Compare as ofertas oferecidas pelos bancos

Outra dica útil é não deixar de comparar as ofertas de negociação disponibilizadas pelos bancos. Em outras palavras, fique de olho nas ofertas de crédito das instituições financeiras.

Desse modo, você pode achar uma oferta que contenha juros menores. Com isso, é possível pagar a dívida com mais facilidade.

Priorize o pagamento das dívidas mais caras

Algo que vai fazer total diferença nessa jornada é priorizar o pagamento das dívidas que possuem taxas de juros elevadas como, por exemplo, cheque especial e empréstimo.

Tendo em vista essa situação, organize suas finanças e saiba exatamente quais são as dívidas mais caras e que podem prejudicar ainda mais sua vida financeira se não forem quitadas com certa urgência.

Feche um acordo de negociação justo

De nada adianta fechar um acordo de negociação da dívida se ele não for vantajoso para as duas partes envolvidas (neste caso, você e a empresa credora).

Por isso, não tenha medo de explicar sua situação financeira atual e deixe claro quais são suas condições para quitar a dívida o mais rápido possível.

Só depois de expor os seus pontos é que realmente vale a pena fechar o acordo, já que o intuito é evitar uma nova inadimplência no futuro.

Não deixe a dívida prescrever

Acredite, sua dívida não vai deixar de existir depois que ela prescreve. O que acontece, na prática, é que o prazo de cobrança da pendência financeira vai caducar depois de cinco anos.

Assim, os birôs de crédito são obrigados a retirarem essa dívida de suas bases de dados. Contudo, isso não significa que a dívida sumiu.

Ela existe, mesmo depois desses cinco anos. Ou seja, a empresa credor ainda tem o direito de cobrar o pagamento desse débito.

Controle os gastos com cartão de crédito

Muitas pessoas questionam como sair das dívidas do cartão de crédito, já que essa é uma das dívidas mais comuns de quem tem uma vida financeira mais ativa.

Nesse caso, o ideal é diminuir as compras com o cartão ou, se preferir, fazer compras no débito para evitar o parcelamento.

Outra opção seria diminuir a quantidade de cartões que você tem. Para isso, é necessário avaliar o uso de cada um e ver se é possível cancelar aquele cartão que usa com menos frequência ou que não oferece benefícios tão vantajosos para o seu bolso.

Tenha a sua própria reserva de emergência

Contar com uma reserva de emergência na hora de lidar com imprevistos é extremamente importante. Como o próprio nome já indica, esse montante de dinheiro deve ser usado em situações que estão comprometendo a sua saúde financeira.

Portanto, use o dinheiro dessa reserva com cautela e responsabilidade, principalmente quando a dívida envolve cheque especial, rotativo do cartão de crédito, dentre outras dívidas.

Reavalie seus hábitos de consumo

Depois de quitar suas dívidas, está na hora de fazer uma autoavaliação e rever alguns hábitos de consumo que podem estar atrapalhando no equilíbrio das suas finanças.

Reavalie quais foram os deslizes que você cometeu para ter chegado nessa situação de endividamento. Seja honesto consigo mesmo e tente mudar alguns hábitos para evitar a inadimplência e manter o nome limpo.

Faça um consumo mais consciente

Por fim, assim que rever os seus hábitos, procure fazer um consumo mais consciente e lembre-se de se questionar nos seguintes pontos:

  • Eu realmente preciso comprar esse produto ou serviço agora?
  • Tenho condições de fazer uma compra parcelada?
  • Será que posso encaixar essa nova dívida no meu plano financeiro, sem comprometer o pagamento das minhas outras obrigações financeiras?
  • Existe uma versão mais barata desse produto ou serviço que desejo adquirir, mas com a mesma qualidade?

Perguntas e respostas de como quitar as dívidas

O que fazer quando se está muito endividado?

  • Procure anotar todas as suas pendências financeiras;
  • Consulte a situação do seu CPF, para verificar se está com o nome sujo ou não;
  • Entenda como está a situação atual das suas receitas e despesas;
  • Economize seu dinheiro, definindo metas;
  • Renegocie suas dívidas;
  • Por fim, tenha um planejamento financeiro como seu principal aliado.

Como quitar as dívidas do cheque especial?

  • Entre em contato com o gerente do banco;
  • Tente negociar um acordo para o pagamento dessa dívida;
  • Pague a dívida corretamente, de acordo com o que foi estipulado no contrato de negociação;
  • Use outras modalidades de crédito que possuem juros menores da próxima vez.

O que fazer para sair das dívidas do FIES?

  • Solicite a renegociação da dívida diretamente com a instituição financeira onde você assinou o contrato do FIES;
  • Pague as parcelas dessa renegociação pontualmente. Lembrando que elas não podem ser menos que R$ 200.

Como se livrar das dívidas ganhando pouco?

  • O primeiro passo é conhecer de perto suas dívidas, analisando quantas são;
  • Já o segundo passo é criar uma meta mensal de economia;
  • Logo em seguida, tente negociar seus débitos em aberto;
  • Se compensar, é interessante trocar sua dívida por outra (com taxas mais acessíveis);
  • Não se esqueça de controlar os gastos regularmente;
  • Crie sua reserva de emergência;
  • Comece a investir seu dinheiro, depois que quitar as dívidas.

Como sair das dívidas do cartão de crédito?

Casal feliz porque está conseguindo quitar as dívidas do cartão de crédito.
Casal feliz porque está conseguindo quitar as dívidas do cartão de crédito.
  • Conheça exatamente quais são seus gastos ligados ao cartão de crédito;
  • Organize os débitos pendentes em uma planilha de controle financeiro;
  • Faça uma negociação com a operadora ou empresa credora;
  • Pague as contas mais caras;
  • Parcelo o pagamento apenas se o valor mensal estiver de acordo com o seu orçamento.

Como se livrar de dívidas com o banco?

  • Confira quais são as dívidas;
  • Busque pelas ofertas de negociação mais vantajosas;
  • Ligue para o banco e converse com o gerente;
  • Tente uma negociação que seja vantajosa para ambas as partes;
  • Aceite o acordo apenas se você tiver condições de arcar corretamente com o pagamento das parcelas propostas;
  • Fique atento aos feirões de negociação;
  • Evite fazer novas dívidas.

O que fazer para pagar as dívidas?

  • Procure fazer uma renda extra, como dar aulas de inglês, vender suas fotografias, ser cuidador de pets, dentre outras opções;
  • Mantenha a organização das contas em dia para economizar;
  • Anote todos os seus gastos;
  • Estabeleça metas financeiras;
  • Organize seu orçamento;
  • Conte com o apoio da sua família para que todos que moram na casa consigam economizar;
  • Evitar gastos desnecessários;
  • Faça uma negociação justa das dívidas com as empresas credoras;
  • Pague primeiro as dívidas mais caras, ou seja, as que possuem alta taxa de juros.

Posso usar meu FGTS para pagar dívidas?

Você pode usar o valor do saque-aniversário para para amortizar ou, ainda, realizar o pagamento das suas contas.

Contudo, lembre-se que não existe nenhuma lei, até o momento, especificando que os saques do FGTS possam ser usados exclusivamente para o pagamento de dívidas.

Vale a pena fazer um empréstimo para pagar dívidas?

Essa resposta vai depender das ofertas disponíveis para você no mercado. Isso porque, se a taxa de juros do empréstimo for inferior ao do pagamento da dívida, então compensa optar por essa linha de crédito.

No entanto, não esqueça de avaliar também o Custo Efetivo Total (CET) dessa operação.

Como sair das dívidas e investir?

Com as contas em dia, você já pode pensar nas possibilidades de começar a investir no seu próprio dinheiro.

Sendo assim, o primeiro passo é deixar seu planejamento atualizado e, logo em seguida, montar sua reserva financeira para situações de imprevisto.

Feito isso, você pode começar sua jornada na área de investimentos. Nesse sentido, é fundamental conhecer seu perfil de investidor (conservador, moderado ou agressivo) e estudar muito sobre esse assunto.

Dessa forma, você consegue entender melhor os diversos tipos de investimentos que existem e montar uma estratégia adequada que está de acordo com os seus objetivos financeiros.

Mas, para investir com mais segurança e tranquilidade, vale a pena contar com a ajuda de uma corretora de valores.

Afinal, como sair das dívidas rapidamente?

Como você viu, o processo de quitar as dívidas não é fácil. Mesmo assim, ele é muito recompensador pelo simples fato de conseguir ter um bom equilíbrio financeiro novamente.

Por isso, o principal segredo de como liquidar as dívidas é seguindo todas as nossas dicas e não esquecer de colocá-las em prática.

Portanto, estude, leia blogs, livros, faça cursos de educação financeira. Pois, se você quer sair das dívidas rapidamente, é preciso assumir o controle da sua vida financeira!

Dessa maneira, consuma o máximo de conteúdo que puder e, claro, teste tudo o que você aprendeu.

Por último, agora que você já conhece as melhores dicas para sair das dívidas rapidamente, é hora de agir para organizar sua vida e conquistar de uma vez por todas a tão sonhada independência financeira.

Sendo assim, lembre-se de registrar todos os seus gastos e ganhos em um app de controle financeiro.

Mobills Controle Financeiro

O Mobills é um aplicativo de controle de gastos e finanças pessoais que irá lhe ajudar a alcançar o sucesso financeiro que você sempre sonhou.
Mobills app de controle financeiro
Design
Usabilidade
Funcionalidades

O que achou das nossas dicas para sair das dívidas rapidamente? Se gostou, compartilhe esse post com seus amigos e familiares que possam se interessar.

Quer acompanhar nosso conteúdo no Instagram? Siga @mobillsedu! Não deixe também de acessar o canal do Mobills no Youtube.


Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


    4 comentários publicados nesse artigo
      11/04/2021 às 17:31

      Quero paga minhas contas

        12/04/2021 às 09:21

        Olá, Micaela. O desejo de mudar de vida é o primeiro passo para organizar nossas finanças. Parabéns! Para que você possa sair das dívidas, precisa colocar todas as dicas que demos nesse artigo em prática. Também sugiro que você confira nossos outros artigos para evitar contrair dívidas novamente.

      28/01/2021 às 08:31

      Muito bom espero que em breve eu possa dizer que já saí das dívidas vou procurar colocar em prática todas as dicas muito obrigado

        29/01/2021 às 08:56

        Tenho certeza que com essas dicas você vai conseguir, Sandra. Boa sorte!

    🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

    Notifique-me de novos comentários via e-mail.

    Junte-se a mais de 239.950 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


      Você também vai gostar...


      Escrito por Janaína Tavares Jornalista

      Jornalista formada pela UNOESTE (Universidade do Oeste Paulista). Apaixonada por educação financeira e pela escrita, principalmente, por entregar conteúdos úteis e de valor para os leitores.

      • Jornalista;
      • Inbound Marketing, Copywriting.