Muitas pessoas se perguntam como sair das dívidas, mas não têm ideia de como lidar com a situação e se livrar das pendências financeiras. A boa notícia é que, com determinação e um bom planejamento financeiro, é possível se livrar das dívidas.

11 passos para sair das dívidas rapidamente

Conheça o Mobills: o melhor gerenciador financeiro do Brasil!

Ninguém dorme tranquilo tendo dívidas, principalmente no Brasil, onde as taxas de juros para o consumidor são altíssimas.

Ficamos angustiados, pensando a todo momento no que fazer para sair da situação de devedor.

Essa angustia gera paralisia, o que, normalmente, só piora o cenário, já que os débitos em aberto se acumulam, assim como os juros cobrados, dando a impressão de que a dívida é impagável.

Assim, muitas pessoas se perguntam como sair das dívidas, mas não têm ideia de como lidar com a situação e se livrar das pendências financeiras.

A boa notícia é que, com determinação e um bom planejamento financeiro, é possível se livrar das dívidas.

Neste post, indicaremos 11 passos para quem quer sair de vez das dívidas e conquistar a tão sonhada liberdade financeira.

Quer descobrir como sair das dívidas? Veja estes 11 passos!

Como sair das dívidas rapidamente: 11 dicas PRÁTICAS

1. Levantamento das dívidas

O primeiro passo para se livrar das dívidas rapidamente consiste em conhecê-las! Nessa etapa o mais importante é fazer uma pesquisa completa, e assim, levantar os seguintes dados:

  • Tipo de dívida;
  • Credor;
  • Valor inicial;
  • Valor atual;
  • Custo efetivo total (Juros + taxas);
  • Quantidade de meses.
Captura de tela da planilha de levantamento de dívidas
Clique para baixar a planilha!

Nessa planilha você pode ver um exemplo de como você deve listar e acompanhar todas suas dívidas.

Nesta fase você não precisa se preocupar em definir uma ordem de pagamento e sim ter certeza que todas suas dívidas estão presentes.

Nesse sentido, uma dica interessante é pesquisar seu nome em plataformas de negociação de dívidas online como:

2. Plano de ação

Agora que você conhece todas as suas dívidas, está na hora de começar a definir seu o plano de ação.

Primeiramente, você deverá definir uma ordem de prioridade. Assim, você deverá estabelecer uma lista com as dívidas que serão pagas ou negociadas primeiras.

É aconselhável sempre priorizar dívidas com as maiores taxas de juros, como o cheque especial e o rotativo do cartão, pois eles possuem um efeito bola de neve que fazem com que o juros atinja patamares acima de 200% ao ano.

Sob o mesmo ponto de vista, uma dica muito valiosa para um bom plano de ação é trocar uma ou mais dívidas com juros altos por uma nova dívida com um juros mais em conta.

Para ficar mais claro, imagine que você esteja devendo R$ 1 mil no cartão com juros de 10% ao mês e R$ 500 no cheque especial a 7% ao mês.

Uma boa solução para esse caso é contratar um empréstimo pessoal de R$1.500 a 3% ao mês e quitar as dívidas mais caras, e concentrar seus pagamentos somente na nova dívida.

Com isso você tanto trocou uma dívida mais cara por uma mais barata como também fez o que chamamos de consolidação de dívidas, facilitando assim seu planejamento financeiro.

3. Negociação

Após ter a lista de todas suas dívidas na mão, chegou finalmente a hora de negociar.

Logo, por ordem de prioridade, entre em contato com cada um dos credores e mostre sua intenção de chegar a um acordo que seja justo para ambos os lados.

Você vai se impressionar com as possibilidades de boas negociações, porém é importante lembrar que você só deve ir para essa fase de negociação e se comprometer com o que de fato você pode cumprir.

Aba de renegociação da planilha de levantamento de dívidas
Acesse agora nossa planilha!

Após as negociações registre os novos valores e encaixe-os em seu orçamento mensal para que assim você possa ter claro quando irá conseguir pagar todas suas dívidas.

Na fase de negociação, aconselho procurar bons acordos na plataforma AcordoCerto.

Baixar a planilha.

Imprevistos acontecem e, para não minar sua capacidade de pagamento, não comprometa todo o seu orçamento com as suas despesas mensais e pagamento das dívidas.

4. Faça o seu diagnóstico financeiro

Para você se organizar para poder pagar as suas dívidas é fundamental que você realize o diagnóstico da sua situação financeira atual.

Ou seja, de forma resumida, é importante saber exatamente o quanto você ganha, o quanto e como você gasta seu dinheiro e quais são suas suas dívidas.

Pois, assim como um médico não consegue passar um tratamento adequado sem ter um diagnóstico eficiente, nas finanças, você precisa primeiro responder algumas perguntas:

  • Quanto você ganha por mês?
  • Quanto você gasta por mês?
  • Qual parcela do seu dinheiro está comprometida com dívidas?
  • Quais são as suas despesas fixas e variáveis?
  • Quanto você precisaria por mês caso acontecesse algum imprevisto (como o desemprego)?

E a melhor e mais precisa maneira de realizar um bom diagnóstico financeiro é assumindo um compromisso de registrar todos os seus gastos e ganhos mensais.

Este é um dos passos mais importantes para quem busca dar os paços necessários para sair das dívidas rapidamente.

Para você que gosta de tecnologia, com o nosso app Mobills é possível fazer todo esses passos de organizar toda sua vida financeira em único lugar.

5. Identifique e diferencie os gastos

Planejar bem os gastos e economizar dinheiro é essencial para sua organização financeira. Portanto, é preciso identificar e diferenciar suas despesas.

Existem diversos métodos de distribuição de renda, um deles é a regra 50-30-20. Mas, independente de qual sua escolha, é recomendado que separe suas despesas essenciais dos desejos pessoais, por exemplo.

Isso te ajuda também no sentido emocional, já que ter suas necessidades em mente pode te estimular a seguir as demais dicas.

Além disso, saiba onde está cada gasto familiar. Isso é uma das coisas mais importantes para a sua organização financeira.

Uma boa dica para identificar os gastos é usar um aplicativo de controle financeiro para fazer o acompanhamento das suas despesas.

Assim, você deve ter em mente que tudo precisa ser registrado: salários, aluguel, pensão, rendimentos extras, gastos grandes e pequenos.

Com essa prática, é comum se impressionar com o quanto é gasto sem que a gente perceba.

6. Utilize um gerenciador financeiro ou monte uma planilha

Não importa se o gasto é pequeno ou grande. Você deve acompanhar todos os gastos em um gerenciador financeiro ou criar uma planilha de gastos e registrar tudo o que é comprado durante o mês.

Adicione todas as suas despesas no gerenciador financeiro: aluguel, conta de luz, conta de água, supermercado, alimentação, educação, telefone etc.

E não deixe de registrar os pequenos gastos, como um picolé que você comprou na rua, por exemplo. Ao deixar esses pequenos gastos de fora, você pode estar subestimando despesas que pesam no final do mês.

Tela de despesas por categoria do Mobills simbolizando a organização financeira
Organize sua vida financeira com o Mobills!

7. Crie metas realistas

Criar metas e objetivos é importante para ajudar na realização de sonhos e planos de vida.

Porém, também é importante estabelecer metas que sejam possíveis de serem alcançadas, assim, trace metas de redução de gastos que possam ser cumpridas e, quando cumpridas, crie novas metas.

Crie um planejamento para seguir e verifique com frequência se ele está caminhando corretamente, fazendo os ajustes sempre que necessário.

Dessa forma, certamente você terá uma vida financeira muito mais saudável e cômoda e dará um passo para sólido para se livrar de vez das dívidas!

8. Crie um orçamento

É fundamental ter os seus gastos mensais organizados e separados em diferentes categorias (educação, moradia, saúde, lazer, dívidas etc.).

Nesse sentido, com um aplicativo de controle financeiro, você poderá criar metas e se programar para estabelecer valores, dentro de um orçamento, que poderão ser gastos com cada tipo de categoria a cada mês.

Por exemplo, você pode definir um orçamento com R$ 800,00 para alimentação, R$ 400, para lazer, R$ 600,00 para transporte etc. Assim, você deverá acompanhar e garantir que, dentro de condições normais, esses limites serão obedecidos.

Dessa maneira, com esses dados em mãos, é possível avaliar eventuais mudanças e realizar o planejamento do orçamento, definindo o que será destinado para a quitação das dívidas.

Assim, você poderia definir os seus gastos como no exemplo a seguir:

  • 50% para gastos essenciais;
  • 25% para gastos não essenciais;
  • 25% para pagamento de dívidas.

Contudo, ao planejar o orçamento, você deverá priorizar o pagamento das dívidas.

Assim, ter um orçamento é definir para onde o seu dinheiro deve ir, ao invés de se perguntar para onde ele foi.

9. Corte despesas desnecessárias

Cortar os gastos desnecessários é um passo importante para manter o orçamento equilibrado, repensando, desse modo, a sua relação com o consumo  e, assim, possibilitando que sobre mais dinheiro para quitar as dívidas e, posteriormente, para investir em suas prioridades financeiras.

Muitas pessoas se endividam porque além de gastar mais do que recebem, são, também, vítimas das famigeradas despesas supérfluas.

Isso inclui, só para citar alguns exemplos, aquele delivery quando há comida em casa, ou aquela compra de roupas ou calçados que não são realmente necessários.

Você pode começar, por exemplo, com uma análise do seu orçamento para identificar quais são as despesas que você usa pouco ou poderia encontrar um substituto mais barato.

Planos de assinatura de serviços pouco utilizados (Netflix, Deezer, etc.), taxas que você não precisaria pagar (tarifas bancárias etc.) e até mesmo atividades que poderiam ser substituídas por opções mais baratas ou até gratuitas.

Comece cortando os gastos desnecessários no orçamento e, em seguida, busque cortar ou reduzir despesas do dia a dia, como pedidos de comida por delivery, por exemplo.

Se você tem dificuldades para resistir a gastos por impulso, experimente algumas estratégias, como sair apenas com dinheiro vivo, deixando o cartão de crédito em casa, por exemplo.

10. Busque uma renda extra

Certamente, uma das maiores dificuldade encontradas no cenário econômico atual é conseguir colocar a vida financeira em ordem.

Ainda mais em um período de crise, no qual os produtos e serviços se tornam mais caros e o caminho natural para muitas pessoas é cortar o que o que é considerado supérfluo.

Assim, muito se fala em cortar gastos, mas uma outra estratégia também muito interessante para quem está com a “corda no pescoço” é procurar opções de renda extra para complementar a renda pessoal ou familiar.

Nesse sentido, você pode, por exemplo, investir em um hobby ou aproveitar uma oportunidade que você identificou para poder ganhar um dinheiro extra.

Por exemplo, dar aulas de reforço escolar, escrever textos para blogs, cozinhar para fora, vender peças de artesanato ou bijuterias e dar aulas de algum instrumento musical são formas de ganhar um dinheiro extra.

Outra maneira de conquistar uma renda extra é separando objetos e roupas que não usa mais para a venda. Caso opte por esse caminho, garanta que os itens estejam em bom estado para, assim, assegurar a satisfação do cliente com venda e evitar estresse.

Do mesmo modo, existem, ainda, outras possibilidades para complementar a renda, como montar uma pequena franquia, trabalhar como motorista de aplicativo, revendedor de produtos na web e até mesmo redator freelancer.

Por último, analise suas possibilidades e o seu tempo disponível e busque uma atividade que seja viável para que você consiga uma renda extra e acelere o processo de saída das dívidas.

11. Prevenção

A última etapa para que as dívidas saiam de vez da sua vida é a prevenção. Afinal, lembrar de todo o processo e sacrifícios feitos para conseguir pagar suas dívidas é crucial para que você não volte nunca mais a situação.

Seja como for, procure viver uma vida equilibrada financeiramente, monte uma reserva financeira e evite gastos por impulso para que nunca mais volte a situação de endividamento.

Conclusão

Muitas pessoas se sentem perdidas quando o assunto é relacionado às finanças pessoais. Por isso, é fundamental aprender de vez como fazer o seu planejamento financeiro.

Portanto, estude, leia blogs, livros, faça cursos de planejamento financeiro pessoal.

Pois, se você quer sair das dívidas rapidamente, então assuma de vez o seu controle financeiro!

Dessa maneira, consuma o máximo de conteúdo que você puder e, claro, coloque em prática o que você aprendeu.

Não é à toa que muitas pessoas conseguem pagar o que devem, mas, pouco tempo depois, endividam-se novamente. Isso acontece porque elas retomam velhos hábitos nocivos, tentando manter um padrão de vida que é incompatível com a sua renda.

Por último, agora que você já conhece os 11 passos para sair das dívidas rapidamente, é hora de agir para organizar sua vida e conquistar de uma vez por todas a tão sonhada independência financeira.

E lembre-se: conheça o Mobills e registre todos os seus gastos e ganhos a partir de agora!

Comente, nos siga nas redes sociais e compartilhe este conteúdo!

O que achou das dicas para sair das dívidas rapidamente?

Se gostou, então, cadastre-se na nossa Lista Vip para receber as novidades em primeira mão e compartilhe esse post com seus amigos e familiares que possam se interessar.

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas e deixe seu comentário!

Quer acompanhar nosso conteúdo no Instagram? Siga @mobillsedu!

Não deixe, também, de acessar o canal do Mobills no Youtube.


VEJA TAMBÉM:

Postado em: Sair das dívidas


Escrito por Hudson Maia

Engenheiro de Pesca. Doutorando da Universidade Federal do Ceará. Apaixonado pelos temas relacionados a finanças, economia e empreendedorismo.


Hey, o que você achou desse conteúdo?

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

    Junte-se a mais de 239.950 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

    Logo Mobills
    Mobills Google Play
    Mobills Apple Store
    Mobills Web