11 Maneiras eficazes de como organizar as finanças pessoais + Dicas Extras

Organizar as finanças pessoais é a maneira mais eficaz de conquistar a tranquilidade financeira. Sendo assim, conheça as melhores dicas para controlar o seu dinheiro!

Artigo escrito por Larissa Brioso em 04 de Abril de 2021

Mulher representando o tema como organizar as finanças

A dúvida sobre como organizar as finanças pessoais é bastante comum e pode causar diversos problemas relacionados à vida financeira.

Isso porque, quem não possui controle sobre suas finanças pode acabar gastando mais do que recebe.

Com isso, acabam se perdendo em dívidas e juros, criando uma ‘bola de neve' que muitas vezes se torna muito difícil de quitar ou que pode acabar corroendo o seu patrimônio acumulado.

Dessa maneira, não só a vida financeira fica em xeque mas até as relações com o cônjuge, filhos e outros parentes podem ser abaladas.

Diante disso, é fundamental saber como organizar suas finanças pessoais. Mas, se você ainda não realiza o controle correto do seu dinheiro, não se desespere!

Pois o importante é dar o primeiro passo, afinal, com um pouco de dedicação e o conhecimento adequado, é possível mudar essa situação de uma vez por todas.

Confira as dicas de finanças que preparamos para que você consiga se organizar!

Como organizar as finanças pessoais?

Geralmente as pessoas fazem planos com o objetivo de melhorar sua situação financeira. Por isso, é comum que elas busquem por alternativas que as auxiliem nessa missão.

Seja por meio da procura de conhecimento em redes sociais, blogs, livros de educação financeira, cursos de finanças pessoais etc.

Afinal, independentemente da sua situação financeira atual, é importante aprender a organizar as finanças.

Sendo assim, é preciso dedicação, planejamento e o uso de ferramentas apropriadas que auxiliem no controle financeiro pessoal.

Para te ajudar nessa missão, selecionamos as 11 melhores dicas para organizar suas finanças. Confira a seguir!

11 Dicas eficazes para organizar as finanças pessoais

1. Identifique e diferencie os gastos

Planejar bem os gastos e economizar dinheiro é essencial para sua organização financeira. Portanto, é preciso identificar e diferenciar suas despesas.

Existem diversos métodos de distribuição de renda, um deles é a regra 50-30-20. Mas, independente de qual seja sua escolha, é recomendado que separe suas despesas essenciais dos desejos pessoais, por exemplo.

Isso te ajuda também no sentido emocional, já que ter suas necessidades em mente pode te estimular a seguir as demais dicas.

Além disso, uma das coisas mais importantes para a sua organização financeira consiste em acompanhar seus ganhos e gastos.

Nesse sentido, um aplicativo de controle financeiro para fazer o acompanhamento das suas despesas é uma excelente alternativa.

Tenha em mente que tudo deve ser registrado: salários, aluguel, pensão, rendimentos extras, gastos grandes e pequenos.

Com essa prática, é comum se impressionar com o quanto é gasto sem que a gente perceba.

2. Defina suas prioridades e programe-se

Antes de consumir, analise bem o seu orçamento disponível. É crucial saber separar o que é importante e realmente necessário, do que é apenas supérfluo.

Sendo assim, diferencie bem o que é essencial do que é apenas um desejo de consumo que pode impedir a realização de um sonho no longo prazo.

Além disso, programe seus gastos. Pois, com gastos bem programados, fica mais fácil pagar todas as contas integralmente e não se afogar em dívidas.

Pagar as contas em dia é importante para não gastar dinheiro em juros e multa.

3. Gaste menos do que você ganha

Para gastar menos do que você ganha, primeiramente você deve criar o hábito de acompanhar os seus extratos com frequência, identificando exatamente quanto entra e quanto sai da sua conta.

Você deve dar atenção também ao cartão de crédito, pois ele cria uma sensação de poder de compra por oferecer a facilidade de pagar parceladamente, muitas vezes sem juros.

Com toda essa ‘facilidade', as pessoas acabam antecipando sonhos ou comprando coisas que realmente não precisam.

Porém, elas não se dão conta de que estão comprometendo sua capacidade de pagamento futura ao vincular parte das receitas futuras com o pagamento das faturas do cartão.

Essa falta de organização financeira pode levar a incapacidade de pagar as suas contas, o que leva ao pagamento de juros que, normalmente, são exorbitantes.

A partir do momento em que conhece suas despesas e receitas, de modo que suas despesas sejam sempre inferiores às suas receitas, fica muito mais simples a tarefa de gastar menos do que se ganha.

4. Controle seus gastos por impulso

Crie uma lista de prioridades sobre o que precisa ser comprado. Ao se mudar para uma nova residência, por exemplo, crie uma lista com os itens mais importantes, os que podem esperar e reflita sobre os itens que não são necessários.

Um caso muito mais comum de controle sobre o que é gasto acontece no supermercado. Ir a um supermercado sem uma lista de compras faz com que a conta seja normalmente mais cara e cheia de itens supérfluos.

Uma lista de compras faz com que apenas o que é necessário seja comprado.

Ao ir a um shopping, tente também ir com a ideia fixa sobre o que será comprado para não cair em tentações e comprar outros produtos por impulso.

5. Sempre que possível, pague à vista

Muitas vezes, as lojas dão desconto para pagamentos à vista. Sendo assim, quando esses descontos forem oferecidos, não deixe de aproveitar e compre produtos que precisa por preços menores.

Dar preferência aos pagamentos à vista, além de proporcionar descontos, ajuda no planejamento financeiro por não criar parcelas a serem pagas em vários meses, aumentando as chances de endividamento.

6. Cartão de crédito? Só quando necessário!

O cartão de crédito é uma ferramenta que deve ser usada com cautela.

Ou seja, todos os seus benefícios devem ser aproveitados, mas é preciso ter controle sobre o cartão para não ser prejudicado por suas desvantagens.

As milhas, por exemplo, são uma ótima chance de trocar pontos por produtos ou passagens aéreas.

No entanto, você não deve gastar mais do que deve apenas para juntar milhas, e sim juntar as milhas de acordo com o que é gasto por necessidade.

Algumas bandeiras de cartões também dão descontos em cinemas, shows, sala VIP etc.

7. Poupe parte da sua renda todos os meses

A noção de pagar-se primeiro é muito importante quando falamos de organização as finanças.

Assim sendo, defina uma quantia (5 a 20% do seu salário) para poupar a cada mês.

Com esse dinheiro você pode fazer, inicialmente, sua reserva de emergência e, posteriormente, diversificar sua carteira em ativos financeiros que irão lhe possibilitar a construção de patrimônio.

Estabeleça objetivos e metas financeiras para que você tenha clareza da utilidade do dinheiro poupado.

Por exemplo, se você tem um objetivo de fazer uma viagem, você deve determinar um prazo de poupança, a quantidade de dinheiro que deve ser poupado por mês e que tipo de aplicação você irá realizar para investir o dinheiro poupado.

Para facilitar essa tarefa, a plataforma de gerenciamento financeiro Mobills criou a funcionalidade ‘Objetivos'.

Conheça o Mobills e Organize as Finanças!

8. Monitore os seus gastos

Inicialmente, falamos da importância de gastar menos do que ganha. Sendo assim, é necessário conhecer os seus gastos e receitas.

Mas, como você irá fazer esse controle se não tem noção dos seus gastos do dia a dia?

Para conseguir organizar as finanças e melhorar sua vida financeira, uma boa dica é utilizar um sistema de controle financeiro pessoal.

Esses softwares são práticos, intuitivos e ajudam a entender de forma mais clara como está a sua atual situação financeira.

Um bom software de gestão financeira permite o acompanhamento e cadastro de despesas e receitas, inclusive as despesas do cartão de crédito, de maneira simples e descomplicada.

9. Utilize um gerenciador financeiro ou monte uma planilha

Não importa se o gasto é pequeno ou grande. Você deve acompanhar todos os gastos em um gerenciador financeiro ou criar uma planilha de gastos e registrar tudo o que é comprado durante o mês.

Adicione todas as suas despesas no gerenciador financeiro: aluguel, conta de luz, conta de água, supermercado, alimentação, educação, telefone etc.

E não deixe de registrar os pequenos gastos, como um picolé que você comprou por delivery, por exemplo. Ao deixar esses pequenos gastos de fora, você pode estar subestimando despesas que pesam no final do mês.

10. Faça metas realistas

Criar metas é importante para ajudar na realização de sonhos e planos de vida. Todavia, também é importante que essas metas sejam possíveis de alcançar.

Sendo assim, trace metas de redução de gastos que possam ser cumpridas e, quando conquistá-las, crie novas metas.

Com o passar do tempo irá perceber que está guardando um dinheiro que poderá tirar os seus sonhos do papel.

Então, crie um planejamento para seguir e verifique com frequência se ele está caminhando corretamente.

Seguindo essas dicas para organizar as finanças, certamente você terá uma vida financeira muito mais saudável!

11. Estude sobre investimentos

Para conseguir administrar suas economias de forma inteligente, você precisa fazê-la render de forma adequada.

Pois de nada adianta acumular um volume financeiro se ele não render de acordo com o risco que você corre com o investimento.

Então, é muito importante pensar em alocar o seu dinheiro em investimentos que te proporcionem rendimentos condizentes com com o risco corrido, tendo sempre em vista quais são os seus objetivos financeiros.

Se você tem um perfil de investidor mais agressivo, por exemplo, é importante dar preferência a aplicações mais arriscadas, como o investimento em ações e fundos imobiliários.

Mas, se o seu perfil é mais conservador, o recomendável é optar por aplicações mais estáveis e seguras, como a renda fixa (Tesouro Direto, CDB, entre outros).

Além disso, vale lembrar que no atual cenário no qual os juros de curto prazo (Selic) estão baixos, a renda fixa perdeu consideravelmente sua atratividade.

Muitos investimentos em renda fixa têm obtido rendimentos negativos, ou seja, muitas pessoas estão perdendo dinheiro para a inflação com esses investimentos.

Portanto, se você procura por melhores rendimentos, é importante estudar e selecionar boas opções em renda variável.

Contudo, caso você tenha boa parte das suas economias alocada em renda fixa e deseja colocar uma boa parcela desse montante em renda variável para auferir maiores rendimentos, tenha cuidado.

Estude, entenda o mercado e os negócios, verifique o desempenho, analise a administração da empresa, invista em renda variável aos poucos e sempre com a mentalidade de se tornar sócio de grandes empresas.

Dúvidas frequentes sobre o assunto

Como organizar o salário do mês?

Existem diversas formas de organizar o salário do mês, como por exemplo, a regra 50-30-20, o método 60-10-10-20 e o Método Harv Eker ou 55-10-10-10-10-5.

Todos esses métodos recomendam que pelo menos 50% da nossa renda líquida mensal (descontada de impostos etc.) seja destinada aos nossos gastos essenciais, com moradia e alimentação, por exemplo.

O restante deve ser distribuído entre os desejos pessoais, educação, diversão, investimentos, doação… Confira nosso artigo Orçamento Pessoal: Guia completo de como fazer o seu! e saiba mais sobre o assunto!

Apps para organizar suas finanças pessoais

Para os amantes de tecnologia, existem diversos apps para fazer a organização financeira pessoal. Confira a seguir nossa lista com os 10 melhores apps de gestão financeira e sua nota na Play Store.

  1. Mobills (4,7);
  2. Organizze (4,7);
  3. Wisecash (4,7);
  4. Fast Budget (4,6);
  5. Monefy (4,6);
  6. Money Lover (4,6);
  7. Toshl Finance (4,5);
  8. Minhas Economias (4,4);
  9. CoinKeeper (4,0);
  10. Expense IQ (4,0).

Qual o melhor aplicativo para organizar as finanças?

O Mobills é um sistema de controle financeiro pessoal online descomplicado que tem como missão transformar sua vida financeira para melhor!

Com mais de 8 milhões de downloads e 300 mil avaliações nas lojas de aplicativos, o Mobills é atualmente o melhor aplicativo para organizar as finanças.

Como organizar as finanças pessoais em uma planilha?

Quando pensamos no controle e organização das finanças pessoais, quanto mais frequente for o registro, melhor.

E isso acontece por um motivo muito simples: mantendo um controle minucioso do dinheiro, você terá sempre uma visão estratégica a respeito do que entra e do que sai. 

Assim, fica muito mais difícil tomar aquelas decisões emocionais e “em cima da hora”, que na maioria das vezes geram arrependimento no final.

Por isso, uma planilha de gastos é interessante para quem precisa entender como gasta o próprio dinheiro.

Para que isso funcione, no entanto, é essencial considerar:

  • Tudo que entra e sai do seu bolso;
  • Planejar como irá utilizar o dinheiro;
  • Fazer um acompanhamento eficaz das finanças.

Além disso, o ideal é que seus ganhos e gastos estejam divididos em categorias na sua planilha.

Como organizar as finanças pessoais no caderno?

Pessoa organizando as finanças no caderno

Como vimos ao longo do texto, as principais dicas de finanças consistem no controle da entrada e saída de dinheiro.

Sendo assim, é fundamental utilizar uma ferramenta de gestão financeira pessoal.

Os apps de controle financeiro e as planilhas de gastos são as mais comuns, mas, o bom e velho papel e caneta é bastante utilizado por quem não curte muito tecnologia.

Então, se esse é o seu caso, siga as dicas abaixo para manter as finanças organizadas no caderno:

  • Anote tudo que entra no seu bolso, como salários e prêmios em dinheiro;
  • Tenha uma lista com suas principais categorias de despesas (essenciais, desejos, investimentos etc.)
  • Planeje o que irá fazer com o seu dinheiro ao longo do mês;
  • Anote cada despesa que realizar;
  • Acompanhe sua vida financeira.

Quais os benefícios de administrar suas contas pessoais?

Assim como montar um orçamento pessoal é importante, administrar suas contas pessoais te ajuda a:

  • Entender melhor a sua própria situação financeira;
  • Conhecer quais gastos impactam mais a sua renda;
  • Entender de que forma você gasta o seu dinheiro, ou seja, quais são os seus hábitos de consumo;
  • Reduzir gastos e aumentar sua capacidade de poupar dinheiro;
  • Tomar melhores decisões financeiras no dia a dia;
  • Ter a oportunidade de se prevenir contra situações imprevistas, se preparando com antecedência etc.

Importância de organizar as finanças

Vimos que a organização das finanças é a principal forma de conquistar a tranquilidade financeira.

Por isso, manter uma boa gestão financeira é o primeiro passo para retomar o controle do seu dinheiro.

Isso porque, o ponto fundamental não é quanto dinheiro você ganha, mas sim, como você lida com o dinheiro.

Sendo assim, devemos controlar nossas despesas, cortar gastos desnecessários, gastar menos do que ganhamos para poupar, formar uma reserva de emergência, até o ponto de começar a investir.

Todas essas atitudes simples irão fazer com que conquiste independência financeira.

Mas, lembre-se de utilizar o melhor aplicativo de controle financeiro do Brasil nessa jornada!


Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


2 comentários publicados nesse artigo
    16/04/2021 às 20:14

    Graças a esse aplicativo estou aprendendo muito só tenho a agradecer

      19/04/2021 às 09:13

      Ficamos felizes em poder ajudar, Felipe. Aproveita e confere nossos artigos sobre finanças que te auxiliarão ainda mais a transformar sua vida financeira.

🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

Notifique-me de novos comentários via e-mail.

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


Você também vai gostar...


Escrito por Larissa Brioso Educadora Financeira

Larissa Brioso, formada em Economia, é Educadora Financeira da Mobills. Possui experiência na área de marketing, SEO e criação de conteúdo com ênfase em Educação Financeira.

  • Editora-chefe do Blog Mobills;
  • Formada em Economia;
  • Estudante de Gestão de Negócios e Marketing.
.