Do Mil ao Milhão: Sem Cortar o Cafezinho [Resumo]

Do Mil ao Milhão tem o objetivo de nos ensinar a gastar bem, investir melhor e ganhar mais. Então, leia esse resumo e conheça os ensinamentos de Thiago Nigro.

Artigo escrito por Marcos Vitor em 14 de Abril de 2021

do mil ao milhão - thiago nigro

Muitos brasileiros cresceram sem ter recebido lições básicas de educação financeira, seja na escola ou no núcleo familiar.

Geração após geração, o brasileiro se tornou pouco poupador e nada habituado a observar os próprios gastos.

Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de endividados no país fechou 2020 em 66,5%. Fato alarmante, concorda?

Além disso, boa parte da classe trabalhadora está acostumada a ser mal remunerada, seja recebendo salários baixos ou rendimentos desfavoráveis oferecidos pelos bancos.

O maior problema é que a maioria de nós acha que isso é normal, que não pode ser diferente.

Somado a esses problemas, existe ainda um sistema formado para nos fazer achar que ser rico é complicado demais, quase impossível para a pessoa comum.

Mas, será que isso é verdade?

A proposta do livro Do Mil ao Milhão, de Thiago Nigro, é mostrar que ser rico não é impossível, apenas trabalhoso.

Portanto, ele nos ensina como podemos juntar nosso primeiro milhão sem cortar o cafezinho, ou seja, sem eliminar gastos menos relevantes.

Para atingir esse objetivo, o livro aborda três pilares: gastar bem, investir melhor e ganhar mais.

Então, vamos conhecer o que o criador do grupo Primo Rico tem a nos ensinar?

Nesse artigo, você vai aprender sobre:

  • Gastar bem;
  • Investir melhor; e
  • Ganhar mais.

Quem é Thiago Nigro?

do mil ao milhão thiago nigro

Thiago Nigro nasceu em 1990 e, em 2008, ingressou na faculdade de Relações Internacionais da ESPM.

Nesse mesmo ano, ganhou R$ 5.000,00 como presente de aniversário pelos seus 18 anos.

Com o objetivo de multiplicar seu patrimônio rápido, ele realizava day trades com derivativos na bolsa de valores.

Contudo, por falta de experiência e de conhecimento, ele acabou perdendo todo o dinheiro que tinha ganhado dos seus pais.

Ao longo da faculdade, trabalhou em diversas empresas com as mais diferentes funções.

A partir de 2010, ele fez vários cursos e tirou algumas certificações do Mercado Financeiro.

No início de 2011, ele abriu seu primeiro negócio, a Investpartner Investimentos, escritório de consultoria de investimentos, onde ficou como sócio até 2015.

Com a experiência e o conhecimento adquirido durante todos esses anos, Thiago Nigro fundou a M. Nigro Investimentos nesse mesmo ano.

Um ano depois, ele criou o canal Primo Rico, que veio a se tornar uma das principais marcas do país no que diz respeito a investimentos.

O grupo Primo Rico vem ajudando milhares de pessoas a mudarem de vida através da forma como lidam com o dinheiro.

Em novembro de 2018, nasceu o livro Do Mil ao Milhão, se tornando o livro de finanças brasileiro mais vendido nos dois anos seguintes.

Agora, vamos conhecer alguns ensinamentos dessa obra.

Decisões de alto impacto financeiro

Thiago Nigro diz que muitas pessoas vivem antecipando sonhos e acabam não desfrutando deles no momento correto e, mais importante, com total tranquilidade.

Com certeza você conhece alguém que, assim que começou a vida profissional, tinha o sonho de ter uma casa própria e fez disso seu foco principal, sem antes estudar a melhor forma de fazê-lo.

Em poucos anos, não bastava mais para esse indivíduo ter a casa própria, pois também queria fazer uma grande festa de casamento.

E, para fechar o ano, por que não fazer aquela viagem dos sonhos?

É natural que o tamanho da nossa carteira seja menor do que os nossos sonhos.

Pela falta de aprendizado em finanças e questões culturais, o brasileiro se acostumou a achar normal parcelar tudo e não colocar na ponta do lápis os custos desse hábito.

O problema é que essa falta de conhecimento, mesclada com o apelo emocional de certas compras, faz com que muitos tomem decisões de altíssimo impacto financeiro muitas vezes sem reflexão alguma.

Algumas delas são:

  • Fazer aquela viagem dos sonhos;
  • Comprar um carro novo e financiado;
  • Ter filhos sem um planejamento familiar adequado; e
  • Financiar a maior parte de um imóvel.

Aqui, chegamos ao ponto fundamental do livro.

Não é cortando o cafezinho que você chegará ao milhão. Mas financiar mais de 50% de um imóvel ou um carro inteiro pode, sim, postergar em muito esse resultado.

Se utilizar o capital de terceiros para grandes comprar for um hábito recorrente, então a vontade de acumular patrimônio pode ser apenas uma ilusão.

Isso porque a maior parte da renda dessa pessoa estará sempre ocupada com pagamento de juros e não com recebimento.

“O pobre paga juros para sempre, o rico os recebe.”

Thiago Nigro

Portanto, você deve analisar bem antes de tomar alguma decisão de grande impacto financeiro.

6 sacrifícios para ser rico

Thiago Nigro fala que não conheceu ninguém que ficou rico que não trabalhasse mais do que seus pares e que não fosse intenso em suas ações.

O esforço delas, porém, continha muito valor agregado, foi feito com inteligência.

Nesse sentido, ele nos mostra cinco coisas que devemos sacrificar se quisermos ser ricos:

  • Conforto presente;
  • Equilíbrio;
  • Mediocridade;
  • Vontade de ser querido;
  • Fragilidade; e
  • Perfeccionismo.

Entenda cada sacrifício

Quem está buscando enriquecimento deve entender que será difícil agradar a todos.

Ninguém que ultrapassa limites alcança a unanimidade, pois sempre haverá quem questione o seu sucesso, diga que não merece o que recebeu, que todas as suas conquistas foram por pura sorte.

Será preciso filtrar os comentários para identificar quais críticas são construtivas.

Com a fragilidade posta de lado, transformamos as adversidades em progresso, pois grandes saltos não acontecem em um ambiente cômodo e controlado.

Assim como nas relações humanas, só conhecemos de verdade quem está ao nosso lado nos momentos extremos e de grande pressão.

E é nessa hora que afloram as vulnerabilidades, mas também a força.

Na economia, é na crise que os setores melhoram sua governança e seu controle, cortam custos e criam medidas de segurança.

Empresas, assim como pessoas, tornam-se antifrágeis em ambientes hostis.

Sabendo disso, podemos deixar de lado a ilusão de que tudo será perfeito.

Não somos infalíveis, não dá para acertar em tudo, ainda mais quando é a primeira vez que tentamos algo novo.

Quem acredita que sua trajetória será 100% limpa e sem falhas está fadado ao fracasso.

Os mercados são voláteis, as pessoas mudam de ideia, o futuro é imprevisível.

Quem fica muito tempo parado apenas planejando pode estar deixando de ver as mudanças acontecendo na porta de casa.

O erro, acredite, está entre você e o sucesso, e não no lado oposto a ele.

É quase sempre nos deslizes que temos a grande chance de encontrar o caminho correto, aparando arestas e corrigindo rotas.

As fases para a liberdade financeira

Não alcançamos a liberdade financeira do dia para a noite. É um processo longo e trabalhoso.

Se assim não fosse, todos teriam essa liberdade.

Entretanto, para que possamos atingi-la, precisamos entender quais são as fazer que temos que passar para chegar ao nosso objetivo.

do mil ao milhão fases para a liberdade financeira
  1. Endividado;
  2. Pequeno investidor;
  3. Foco no longo prazo; e
  4. Liberdade financeira.

Conhecendo cada uma das fases

Na primeira fase, as pessoas geralmente não conseguem guardar nada do que recebem.

Ou quando fazem, pensam que o acúmulo momentâneo serve apenas para cobrir aquela parcela a ser paga no mês.

O problema é que a dívida continua crescendo por causa de novas compras ou necessidades imediatas.

Para avançar de fase, é preciso aprender a gastar melhor, comprar barato e estudar a melhor maneira de aplacar nossa dívida o quanto antes.

A segunda fase é aquela em que a pessoa se torna um “pequeno investidor”.

Este já ganha um pouco mais do que gasta, mas ainda não consegue se planejar para guardar uma parte da renda ou, se tem guardado, ainda é pouco.

Nessa etapa, o investidor está começando a acumular patrimônio e deve estudar para que possa fazer as melhores escolhas.

Por outro lado, pela falta de conhecimento e experiência, é a etapa em que mais somos tentados por aqueles que nos vendem um sonho de ganhos elevados num curto espaço de tempo.

Na terceira fase financeira, o indivíduo está olhando para além do curto prazo. Suas metas não são o celular novo ou a reforma da casa no fim do ano.

Ele está com as contas em dia, tem sua reserva de emergência e começa a refletir sobre o futuro do seu caixa financeiro.

Passa a procurar aplicações que exigem comprometimento duradouro e, muitas vezes, potencializam-se ao longo do tempo.

Com o patrimônio formado para o futuro, o poupador entra em uma quarta fase, na qual não precisa mais se preocupar com o dinheiro que possui naquele momento.

Ele sabe que vai se aposentar com certa tranquilidade e garantiu a renda que considera necessária para o resto da vida.

É nessa fase que se maturam todos os esforços realizados ao longo de muitos anos.

Investir ou especular?

Seguindo no assunto de investimentos, o livro Do Mil ao Milhão trata de um assunto muito importante.

Afinal, nós somos investidores ou especuladores?

Thiago Nigro faz uma distinção entre três tipos de pessoas que atuam no mercado.

Aspirante

  • Ainda não consegue investir;
  • Não tem consciência de que precisa investir o que ganha;
  • É o famoso “poupador”, que até pouco tempo só conhecia a poupança;
  • Acabou de descobrir as maravilhas do Tesouro Direto e por isso não deixa a renda fixa.

Especulador iniciante

  • Negocia ações sem pensar no valor da empresa, mas apenas no preço da ação;
  • Não investe na empresa, pois encerra sua posição todos os dias no pregão;
  • Acredita que a sorte faz parte do mercado de ações, fica viciado no “jogo”;
  • Corre o risco de falência ao operar diversas vezes e, à medida que sofistica suas ações, opta por produtos ainda mais voláteis.

Investidor

  • Nunca compra ou vende ações baseado no preço delas no momento, mas sim nos fundamentos da companhia;
  • Não faz day trade desnecessariamente ou pretende ganhar dinheiro com operações de curto prazo que geram custos excessivos de corretagem;
  • Faz aportes constantes pensando na velhice e aposentadoria. Entende o poder dos juros compostos.

E você, com qual dos três tipos se identifica? Deixe nos comentários!

Vá Do Mil ao Milhão

Thiago Nigro, em seu livro Do Mil ao Milhão, não tinha a intenção de entregar a fórmula mágica da riqueza. Isso não existe.

Na verdade, a intenção dele é nos instruir para que, através de boas decisões, possamos alcançar nossa liberdade financeira mesmo que ganhemos pouco atualmente.

Sem dúvida, é um dos melhores livros de educação financeira do Brasil.

Portanto, se possível, não fique somente nesse resumo. Busque ler a obra completa.

Temos certeza que os benefícios dessa leitura serão recompensadores.

Continue aprendendo

Veja nossos outros conteúdos sobre investimentos, seja no Blog, ou no YouTube.

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas e deixe seu comentário!

Não esqueça de compartilhar este artigo com amigos e familiares.


Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


    🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

    Notifique-me de novos comentários via e-mail.

    Junte-se a mais de 239.950 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


      Você também vai gostar...


      Escrito por Marcos Vitor Especialista em investimentos

      Especialista em investimentos do Mobills, Marcos é estudante de economia na UFC e recentemente tirou sua certificação na área. Tem como hobby aconselhar amigos sobre investimentos.

      • Certificado de Especialista Anbima (CEA);
      • Estudante de economia;
      • ETF no Mercado Brasileiro - ANBIMA;
      • Gestão de Riscos - ANBIMA.
      .