Blockchain: entenda o conceito e o funcionamento dessa tecnologia

Conhecer o funcionamento da Blockchain é essencial para entendermos o futuro modelo de transações. Então, leia o artigo e saiba mais sobre essa tecnologia.

Artigo escrito por Marcos Vitor em 25 de Julho de 2021

imagem representa tecnologia blockchain

Provavelmente, a tecnologia do Blockchain seja uma das mais disruptivas e importantes das últimas décadas.

Isso porque, por meio dela, é possível realizar transações de modo muito mais rápido e seguro e sem a necessidade de um terceiro.

Contudo, talvez, você nunca tenha ouvido falar nesse termo ou, se já ouviu, pode não conhecer seu funcionamento.

Por isso, nesse artigo, nós vamos tirar todas as dúvidas que você possa ter sobre a tecnologia Blockchain para que, assim, você possa investir com mais consciência nas criptomoedas.

Então, vamos nessa?

O que é Blockchain

Blockchain (cadeia de blocos) é uma tecnologia de armazenamento e compartilhamento de dados de forma distribuída, criptografada e baseada em consenso.

Ela funciona basicamente como um livro de registro digital, em que armazenam-se os dados de forma descentralizada por cada um dos participantes da transação em questão.

Portanto, por suas características, o Blockchain agiliza e garante a segurança nas negociações.

Contudo, ela é relativamente nova, pois só surgiu em 2008, com o objetivo de apoiar a comercialização do Bitcoin, a primeira criptomoeda.

No início, somente a rede do Bitcoin usava essa tecnologia, mas atualmente existem também utilizações no universo corporativo.

Ademais, qualquer item de valor pode ser rastreado e negociado em uma rede de Blockchain.

O que são criptomoedas

Criptomoeda é uma espécie de moeda descentraliza e podemos chamá-la de dinheiro digital.

Entretanto, diferente do dinheiro tradicional, as criptomoedas não são físicas nem emitidas por nenhum governo.

Além disso, a próprias pessoas poder negociar os criptoativos, sem necessidade de um intermediário.

Todavia, para que seja possível essa descentralização e essa não necessidade de intermediação, é preciso que haja uma tecnologia por trás que assegure não só a segurança da rede, mas também sua agilidade.

Então, surgiu o Blockchain, uma tecnologia capaz de sustentar todo esse ecossistema.

Como funciona a Blockchain

Quando uma pessoa A vende um Bitcoin para uma pessoa B, cria-se um bloco com o registro dessa operação.

Se B vender essa criptomoeda posteriormente para uma pessoa C, os dados da nova venda inserem-se em um novo bloco, ampliando o número de registros no ledger (livro contábil).

blockchain rede de blocos
Tecnologia Blockchain

O armazenamento dessas informações é feito de forma sequencial. Desse modo, a alteração de qualquer dado na cadeira invalida todos os blocos subsequentes.

Você lembra nós dissemos que as informações são distribuídas baseadas em consenso? Isso acontece porque todos os computadores dessa rede (conhecidos como nós) precisam reconhecer a transação para ela se tornar válida.

Como mostramos no artigo de Bitcoin, a dinâmica da Blockchain funciona da seguinte forma:

  1. Um usuário solicita uma transação;
  2. Cria-se um bloco que representa a transação;
  3. O bloco se difunde para todos os nós da rede;
  4. Todos os nós validam o bloco e a transação;
  5. Adiciona-se o bloco à Blockchain; e
  6. A transação é verificada e executada.

Nesse processo, cada bloco adicional fortalece a verificação do anterior e, portanto, de toda a cadeia. Isso torna a Blockchain inviolável, entregando o aspecto principal da imutabilidade.

No âmbito corporativo, para acelerar as negociações, um conjunto de regras, chamado de contrato inteligente, é armazenado na Blockchain e executado automaticamente.

Um contrato inteligente pode definir condições para qualquer tipo de transferência, incluir termos para o pagamentos e muito mais.

Nesse sentido, por ter regras claras e pré-definidas, essa tecnologia agiliza as transações e elimina a necessidade de um terceiro.

A tecnologia Blockchain é segura?

A segurança das informações é garantida pela função hash (sem tradução exata), uma impressão digital intrínseca a cada bloco, que funciona para identificá-lo e para impedir alterações no seu conteúdo.

Então, se os dados do bloco forem alterados, o hash muda e denuncia a violação.

Estas regras tiram o incentivo de fraude, uma vez que blocos fora do padrão são facilmente detectados pelos demais.

Além disso, o fato de os dados não estarem centralizados em um servidor único, mas dispersos por um grupo de computadores independentes que fazem parte da rede, dificulta a ação de hackers.

Portanto, podemos concluir que a tecnologia Blockchain é extremamente segura, tanto em seu uso no mercado de criptomoedas quanto em seu uso empresarial.

Qual a melhor Blockchain Wallet?

A proposta das criptomoedas é ser um ativo descentralizado e que não pode sofrer influência externa.

Além disso, a forma mais simples de investir em criptomoedas é por meio da exchanges, que são corretoras de criptoativos.

Contudo, se você deixar seus ativos custodiados na exchange, você os guardará em um lugar que é centralizado, e, por causa dessa centralização, as exchanges podem ser alvo de hackers.

Além disso, apesar do governo não regular as criptomoedas, ele pode regular as exchanges.

Por isso, deixar suas criptomoedas guardadas na própria corretora é correr um risco desnecessário.

Nesse sentido, criaram-se as wallets, que funcionam como uma espécie de carteira e servem para guardar nossas criptomoedas.

Dentre as várias opções, as melhores são as Hardware Wallets e a Hot Wallets, levando em consideração segurança e agilidade.

No primeiro tipo, as mais recomendadas são a Ledger Nano X e a Trezor, enquanto no segundo tipo são a Exodus e a Trust Wallet.

A revolução do Blockchain

Diante dos que dissemos acima, podemos perceber que a tecnologia Blockchain tem potencial para transformar totalmente o modelo de transações comerciais no futuro.

Isso porque, além de agilizar as operações, o nível de segurança da rede é muito mais avançado e sólido do que qualquer outro sistema convencional.

Portanto, você pode ficar muito mais tranquilo na próxima vez que precisar usar o Blockchain, seja para negociar criptomoedas ou para realizar qualquer outro tipo de negociação.

Continue aprendendo!

Gostou de aprender sobre Blockchain? Deixe sua opinião nos comentários, pois ela é muito importante para nós!

Ademais, veja nossos outros conteúdos sobre investimentos e finanças no canal do Mobills no YouTube.


Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


2 comentários publicados nesse artigo
    26/07/2021 às 11:54

    Não houve preocupação do autor e/ou publicador da matéria com a correção textual, sendo mais um a agredir este nosso sofrido idioma…
    Quanto às “blockchain wallets”, o assunto permanece obscuro. O que são, de fato, “hardware and hot wallets”? São recursos embutidos na “blockchain” ou agentes externos semelhantes a corretoras (foi o que entendi ao citarem-se “Ledger Nano, Trezor, Exodus,…”)? No mais, o texto diminui bastante as dúvidas do leitor/investidor.

      26/07/2021 às 12:16

      Olá, Sérgio. A opção pelo uso do termo “Blockchain Wallet” foi porque é assim que os usuários costumam pesquisar. Então, se usássemos o termo exato, ganharíamos na definição, mas perderíamos no número de pessoas que poderíamos alcançar e ajudar. No que diz respeito às wallets, eu não me aprofundei muito porque eu já tinha feito isso no artigo de Bitcoin. Logo, para não ser repetitivo, eu fui mais direto. Caso você tenha dúvida, as wallets não fazem parte da Blockchain, são ferramentas externas.

🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

Notifique-me de novos comentários via e-mail.

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


Você também vai gostar...


Escrito por Marcos Vitor Especialista em investimentos

Especialista em investimentos do Mobills, Marcos é estudante de economia na UFC e recentemente tirou sua certificação na área. Tem como hobby aconselhar amigos sobre investimentos.

  • Certificado de Especialista Anbima (CEA);
  • Estudante de economia;
  • ETF no Mercado Brasileiro - ANBIMA;
  • Gestão de Riscos - ANBIMA.
.