Mobills
Menu Mobills
Melhores Melhores Guias Guias Ferramentas Ferramentas Mobills Mobills
emprestimos-e-dividas
isca
Não
semestral

Saiba como financiar sua faculdade e como funciona esse financiamento!

Um financiamento estudantil pode ser a saída para quem deseja fazer uma faculdade e não tem condições financeiras a curto prazo. Por isso, saiba mais sobre o assunto!

Artigo escrito por Ranielle Oliveira em 31 de Dezembro de 2021

Atualmente, o sonho de fazer um curso superior ficou ainda mais próximo, sobretudo para as pessoas que não têm como arcar com as mensalidades. Isso se deve ao fato de existir financiamento de faculdade.

Esse tipo de financiamento funciona como um empréstimo, em que o estudante vai pagar somente após o término do curso, dentro de um prazo estipulado no momento do contrato.

Por isso, se você está em busca de um financiamento de faculdade e não sabe como fazer, confira este conteúdo até o fim!

Como funciona o financiamento de uma faculdade?

Financiar a faculdade pode ser a salvação para muitas pessoas, uma vez que elas não tenham as condições necessárias de arcarem com a mensalidade do curso escolhido.

Dessa forma, o financiamento pode funcionar, então, como um empréstimo, em que você vai destinar o dinheiro para a faculdade, a fim de pagar a mensalidade.

Com isso, a instituição de ensino em que você vai estudar recebe a quantia, mês após mês, através de instituições, que podem ser públicas ou privadas e, geralmente, após receber o diploma, o aluno faz a devolução do valor.

Além disso, o universitário tem condições mais vantajosas, uma vez que os programas de financiamento prezam por reduzir a desigualdade social na educação do país.

Por isso, se você tem o objetivo de entrar em uma faculdade, mas acredita que não é possível por não ter dinheiro suficiente, confira a seguir algumas opções de financiamento de faculdade.

Tipos de financiamento para faculdade

Atualmente, existem alguns tipos de financiamento para faculdade, sejam eles públicos ou privados. Cada um, no entanto, possui as próprias regras e requisitos. Por isso, cabe ao estudante decidir pelo melhor.

Então, para ajudar na missão de escolha, confira a seguir alguns modelos de financiamento estudantil.

Financiamento público

Atualmente, um exemplo de financiamento público é o FIES (Financiamento Estudantil), um programa do MEC (Ministério da Educação).

O FIES ajuda estudantes com renda per capita de até 3 salários mínimos a ingressarem em um curso superior, e funciona como um empréstimo, uma vez que concede crédito.

No entanto, para aderir ao benefício, é necessário ter atingido uma nota no Enem de, no mínimo, 450 pontos, além de ter tirado acima de 0 na redação. Além disso, o estudante pode utilizar a nota atingida em exames dos últimos 4 anos.

Sendo assim, é visto que financiar uma graduação em faculdades privadas é totalmente possível.

É necessário, entretanto, que o curso de escolha do estudante tenha uma avaliação positiva nos processos avaliativos do MEC, como o Sistema Nacional de Avaliação Superior (Sinaes).

Existem, além disso, duas modalidades de pagamento do FIES, que são:

  1. Para brasileiros com renda mensal familiar de até 3 salários mínimos per capita (FIES – Sem juros);
  2. Para brasileiros com renda mensal familiar de 3 a 5 salários per capita (P-FIES – com juros baixos).

Ao se formar, o estudante tem o prazo de carência que é de até 18 meses para começar a pagar o tipo de empréstimo.

No entanto, existe também a fase de amortização do programa, em que, ao terminar a fase de carência, o estudante pode quitar a dívida em até 3 vezes o período financiado da duração do curso.

Financiamento privado

O financiamento privado atua quase que do mesmo modo que o público, mas com algumas diferenças. Por exemplo, o prazo para o pagamento do crédito pode ser diferente, além dos limites da renda por pessoa.

Além disso, nessa modalidade de financiamento estudantil privado, alguma instituição assume as despesas da faculdade do aluno, com a condição de que ele devolva após o período definido.

Porém, ao invés de ser arcado pelo governo, esse crédito vem de alguma instituição financeira.

Financiamento bancário

Atualmente, os estudantes também podem contar com as linhas de crédito oferecidas pelos bancos para financiamento de faculdade.

Vale ressaltar, além disso, que o financiamento bancário é um dos tipos de financiamento privado.

No entanto, antes de contratar, é preciso ficar bastante atento aos juros para saber se realmente o crédito foi oferecido com benefícios. Por isso, antes da assinatura do contrato é necessário estudar bem.

De modo geral, o banco, em um financiamento estudantil, paga o valor de 6 meses de mensalidade para a faculdade e dá o dobro para que você ague o valor da dívida, ou seja: 1 ano.

Apesar de os principais bancos do Brasil oferecerem crédito para financiamento estudantil, cada um tem a própria forma de funcionamento.

Qual a melhor forma de financiar a faculdade?

A melhor forma de financiar a faculdade vai depender do que está dentro das suas possibilidades.

O FIES, por exemplo, só custeia cursos presenciais e faculdades que estejam aptas de acordo com a avaliação do MEC. Então, se você deseja fazer um curso à distância, o melhor é optar por financiamento privado.

Por isso, ao escolher o curso que você deseja, avalie bem a faculdade ou universidade, considere todas as taxas e benefícios que o financiamento oferece e, só depois, escolha.

Quem pode solicitar financiamento estudantil?

Existem alguns requisitos para a solicitação dessa linha de crédito. Mas, um ponto em comum entre todos os programas, é que você deve estar matriculado em uma instituição de Ensino Superior privada.

Para o aluno que deseja financiar a faculdade pelo FIES, por exemplo, a seguir estão algumas condições:

  1. Ter renda familiar per capita igual ou menor que 3 salários mínimos;
  2. Ter realizado qualquer edição do Enem, de 2010 em diante, atingindo uma nota mínima de 450 pontos e nota mínima de 400 na redação;
  3. Não ter dívidas anteriores com o programa.

O financiamento de bancos ou outras instituições especializadas, por outro lado, se mostra mais flexível. O foco principal das linhas de crédito oferecidas, por exemplo, será a comprovação de que realmente precisa da ajuda do financiamento.

Por isso, confira se você se encaixa em uma das oportunidades descritas acima, solicite!

Onde buscar o financiamento estudantil?

A melhor forma de buscar um financiamento de faculdade é através dos sites das próprias instituições, realizando uma pesquisa de pré-requisitos para as contratações e, também, pesquisando taxas e benefícios oferecidos, a fim de fazer a melhor escolha.

Vale a pena financiar a faculdade?

Uma das principais vantagens de um financiamento estudantil é dar a possibilidade de formação em cursos superiores a pessoas que, financeiramente, não têm condições de arcar com mensalidades.

Então, ao pensar que você vai pagar mensalidades em prazos maiores, como os descritos no decorrer do texto, pode ser bem vantajoso.

Por outro lado, é importante estar ciente de que um empréstimo estudantil é uma dívida. Logo, você terá que arcar com ela no prazo estabelecido no contrato.



Escrito por Ranielle Oliveira Analista de conteúdo

Experiente na área de revisão de textos, criadora de conteúdo de finanças pessoais para o Instagram @mobillsedu e apaixonada por escrever textos com uma linguagem clara e de fácil entendimento para os leitores.

  • Graduanda em Letras pela Universidade Estadual do Ceará.

Assine a Newsletter Mobills
Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


Você também vai gostar...


🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

Notifique-me de novos comentários via e-mail.


.