Melhores Melhores Melhores Ferramentas Ferramentas Ferramentas Mobills Mobills
investimentos
isca
Sim
semestral

Exchange Traded Fund (ETF): Como investir nos fundos de índice

Você sabe o que é um ETF? Leia o artigo e conheça uma das categorias de fundos de investimento mais famosas do Brasil.

Artigo escrito por Marcos Vitor em 27 de Julho de 2023

O ETF, ou fundo de índice, está entre os ativos mais populares do Brasil e do mundo, por conta de suas inúmeras vantagens.

Por isso, nós estamos vendo um crescimento exponencial do número de ETFs disponíveis no país e do volume negociado nesse produto.

Contudo, para que possamos descobrir se vale a pena investir nesse ativo, precisamos conhecer melhor suas características. Então, vamos nessa?

O que é ETF?

ETF é uma sigla para Exchange Traded Fund (Fundo Negociado em Bolsa), também conhecido como fundo de índice.

Basicamente, são fundos de investimento que replicam o desempenho de um índice de referência.

Ou seja, como o objetivo é acompanhar, e não superar, determinado índice, esse fundo adota uma gestão passiva em sua estratégia.

Segundo dados da B3, já existem mais de meio milhão de pessoas que investem em ETFs no Brasil, um crescimento de 109% em 2021.

O primeiro ETF foi criado em 2004, mas o segundo e o terceiro só surgiram em 2008. Atualmente, nossa bolsa já conta com dezenas de ETFs, sendo a maioria de renda variável. Contudo, se considerarmos os BDRs de ETFs, a quantidade destes aumenta bastante.

O que são fundos de investimento?

Os fundos de investimentos são instrumentos financeiros que reúnem os recursos de vários investidores para que sejam aplicados em conjunto no mercado financeiro.

Esse ativo tem várias vantagens, como gestão profissional e diversificação de baixo custo, estratégias, classes e objetivos.

Dentre os objetivos que um fundo pode adotar, está acompanhar um benchmark, ou seja, um índice que serve como parâmetro de comparação.

Vale lembrar que existem os fundos abertos e fechados, e os ETFs fazem parte deste tipo. Logo, o investidor não pode resgatar seu investimento junto ao fundo, mas pode vender suas cotas para outros investidores na bolsa.

Como funcionam os ETFs

Como foi dito, o objetivo de um ETF é replicar o desempenho de um índice de mercado. Por isso, os fundos devem obedecer a legislação da CVM de ter pelo menos 95% da sua carteira em ativos que integram os índices de referência.

E quais são os índices utilizados? Vários: Ibovespa, preço do ouro, bolsa chinesa, Bitcoin, empresas de tecnologia, companhias sustentáveis etc.

Nesse sentido, se o Ibovespa subir 10%, por exemplo, um ETF que replique seu desempenho deve subir os mesmos 10%.

Por causa das suas características, os ETFs protegem o investidor de ter um desempenho abaixo do desempenho do mercado.

Isso porque, uma alternativa ao investimento via ETF é escolher ativos individuais que você acredita que performarão melhor que a média do mercado.

Contudo, na tentativa de superar o mercado, você pode acabar ficando abaixo dele, o que não aconteceria se você investisse diretamente no índice que representa a média do mercado.

Além disso, para quem não tem muito tempo de estudar para escolher as ações individualmente, a gestão passiva é a melhor solução.

Portanto, você consegue se expor às principais empresas do mercado (ou de um setor específico) através de um único produto.

Taxas cobradas

Como todo fundo de investimento, você deverá pagar algumas taxas nos ETFs, como taxa de performance e taxa de administração.

Em primeiro lugar, a taxa de administração é um valor a ser descontado diariamente do valor da cota e serve para remunerar a gestão e a administração do fundo.

Por outro lado, a taxa de performance é um valor que é pago semestralmente e somente quando o retorno do fundo ficar acima do índice de referência.

Entretanto, você precisa ficar atento, pois existem ETFs que investem em outros fundos, ou seja, você vai acabar pagando duas taxas de administração.

Como investir em ETFs

Investir em um ETF é muito simples, pois o processo é exatamente igual ao de comprar uma ação, que também é simples.

Para isso, basta você digitar o código do ETF no home broker da sua corretora, escolher a quantidade e comprar.

etf toro investimentos
Home broker da Toro Investimentos

A única diferença dos ETFs para as ações é que no ETF você não precisa colocar um F no final do código caso você compre menos de 100 cotas.

Contudo, mais importante do que o ato da compra é o estudo que nos leva a tomar uma decisão.

Nesse sentido, verifique as taxas cobradas pelo fundo, o histórico da gestão, a estratégia e os ativos do fundo. Dessa forma, você fará escolhas muito mais acertadas.

De todo modo, podemos conhecer os principais ETFs do mercado para que possamos ter um norte de quais estão de acordo com nossas necessidades.

Toro Investimentos

A melhor forma de investir com taxa zero e com atendimento personalizado.

URL verificada

Principais ETFs do mercado

Como foi dito, atualmente, existem dezenas de ETFs no Brasil, com os mais diferentes índices de referência. Dentre eles, podemos citar o:

  • BOVA11: Ibovespa;
  • GOLD11: Preço do ouro;
  • XINA11: Bolsa da China;
  • EURP11: Bolsa da Europa:
  • SMLL11: Small Caps;
  • HASH11: Criptomoedas;
  • IMAB11: títulos do Tesouro IPCA+;
  • TECK11: Grandes empresas de tecnologia; e
  • IVVB11: 500 maiores empresas dos Estados Unidos.

Do lado esquerdo, vemos o código do ETF e, do lado direito, qual é o seu índice de referência.

Vantagens e desvantagens dos ETFs

A maior vantagem desse produto financeiro é a diversificação de baixo custo. Nesse sentido, você pode comprar dezenas de ativos pagando uma baixíssima taxa de administração.

E a taxa de administração é baixa porque o gestor não tem tanto trabalho como um gestor de um fundo ativo, pois o papel dele é só acompanhar o índice.

Portanto, a segunda vantagem tem a ver com isso: por acompanhar o índice, nós não correremos o risco de ficar abaixo da média do mercado.

A outra vantagem dos ETFs é a versatilidade e a facilidade. Ou seja, eu posso investir em vários índices diferentes de um modo muito rápido e simples.

Por outro lado, a maior desvantagem desse instrumento é o fato de que, querendo ou não, você vai acabar investindo indiretamente em ativos que você não investiria diretamente.

Por exemplo, ao investir nas 500 maiores empresas do Estados Unidos, você vai acabar comprando empresas que você gosta, mas também empresas que você não gosta.

Além disso, no Brasil, os ETFs têm dois problemas particulares: eles não distribuem os dividendos das empresas que os compõem e as opções ainda são muito reduzidas.

Enquanto nos Estados Unidos existem mais de 2.000 ETFs que podem distribuir dividendos ou não, no Brasil nós temos menos que 100 e que não distribuem dividendos.

Por fim, existe a questão tributária, que vamos conhecer com mais detalhes agora.

Imposto de Renda nos ETFs

No Brasil, não existe qualquer isenção de Imposto de Renda para os lucros com ETFs. Então, independente de quanto você ganhe, terá que pagar o tributo devido.

No caso dos ETFs de renda fixa, você pagará de acordo com o prazo médio dos títulos do fundo:

  • Até 180 dias: 25%;
  • De 181 dias até 720: 20%; e
  • Acima de 720 dias: 15%.

Nos ETFs de renda variável, você pagará 15%. Além disso, você será descontado na fonte em 0,005% sobre o valor do lucro.

Lembrando que essas alíquotas vão incidir apenas se você vender suas cotas com lucro e apenas sobre o ganho de capital, não sobre o valor total da venda.

Dúvidas frequentes sobre o assunto

O que significa ETF?
Qual o melhor ETF para investir?

Não existe um melhor ETF, pois cada um tem índices de referência diferentes.

Por exemplo, existem ETFs para quem quer se expor à bolsa brasileira e para quem quer se expor à bolsa americana. Mesmo que a economia dos EUA seja mais desenvolvida, não podemos dizer que este é melhor que aquele.

Isso porque, temos que analisar os objetivos e o perfil de cada investidor para que saibamos qual é o ativo mais adequado.

ETF para dividendos?

No Brasil, não. Portanto, os rendimentos distribuídos pelas empresas que fazem parte do fundo são reinvestidos no próprio fundo. Assim, o valor da cota é corrigido por esse novo valor que foi aplicado.

Quanto rende uma cota de IVVB11?

Não temos como saber, pois o IVVB11 é um ativo de renda variável, ou seja, seu retorno não segue nem um parâmetro de rentabilidade.

Contudo, podemos entender que o IVVB11 vai render o que as empresas que fazem parte do S&P 500 na média renderem.

Vale a pena investir em ETFs?

Conheça as vantagens e desvantagens dos ETFs

Os ETFs, ou fundos de índice, são instrumentos de investimento muito interessantes, pois acompanham determinado benchmark.

Por isso, esse ativo é recomendado principalmente para quem não quer correr o risco de performar abaixo do mercado.

Contudo, para aqueles que têm tempo, conhecimento e disposição suficientes para escolherem ativos individuais com o propósito de bater o mercado, então os ETFs não são ideias.

Nesse sentido, os ETFs valem a pena sim, pois cumprem o seu propósito, mas é preciso primeiro verificar se eles estão de acordo com sua estratégia.

CONTINUE LENDO


Escrito por Marcos Vitor Especialista em Investimentos

Marcos Vitor é consultor financeiro, economista (UFC), analista CNPI (APIMEC), especialista em investimentos (ANBIMA) e acredita no poder da educação financeira para transformar vidas.

  • Consultor financeiro
  • Economista (UFC)
  • Analista CNPI (n° 3772)
  • Especialista em Investimentos Anbima (CEA)
  • Criptomoedas (NovaDAX)

Você também vai gostar


🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

Notifique-me de novos comentários via e-mail.

.
.