Despesas Fixas e Variáveis: O que são, principais diferenças e como afetam seu orçamento

Você sabia que as suas despesas fixas e variáveis podem impactar, e muito, seu orçamento? Entenda o que são e mude a forma como lida com o dinheiro!

Artigo escrito por Carlos Terceiro em 09 de Abril de 2021

Pessoa escrevendo suas despesas fixas e variáveis em um caderno

Para um bom controle do dinheiro é fundamental entendermos a diferença entre nossas despesas fixas e variáveis, as quais devem estar inclusas em nosso orçamento.

Afinal, fazer um orçamento pessoal ou familiar sem conhecer o quanto você gasta com despesas essenciais ou desejos, entre outros, é quase uma missão impossível, concorda?

Ou seja, tão importante quanto saber o valor que ganha mensalmente é saber o quanto gasta no seu dia a dia.

Nesse sentido, para facilitar esse processo, é fundamental conhecer suas despesas fixas e variáveis, como uma conta de aluguel ou de energia.

Mas, se você não sabe como classificar esses tipos de despesas, não se preocupe! Pois, preparamos um conteúdo completo para que entenda tudo sobre despesas fixas e variáveis.

Boa leitura!

O que é uma despesa no orçamento?

Ao contrário de uma receita que é tudo aquilo que entra na sua conta, uma despesa é tudo o que sai das suas contas, seja ela sua carteira ou contas bancárias.

Despesas fixas e veriáveis

Exemplos de despesas do dia a dia:

  • Aluguel da sua casa ou apartamento;
  • Parcela de um carro ou empréstimo;
  • Mensalidade da academia ou serviço de streaming;
  • Gastos com alimentação e lazer; etc.

Vale ressaltar que, independente do seu meio de pagamento, seja ele à vista ou a prazo, débito ou crédito, se você está tirando dinheiro da sua conta ou fazendo algum tipo de empréstimo, você está tendo uma despesa.

Além disso, podemos considerar também os juros de atrasos de pagamento como despesas que devem ser incluídas em seu planejamento.

Tipos de despesas financeiras

Quem nunca se perguntou o que são despesas fixas, ou ainda, o que são despesas variáveis? Na hora de definir um teto de gastos, essa dúvida é bastante comum.

Afinal, como montar um planejamento das finanças pessoais sem conhecer os principais gastos?

Entenda a seguir o que são cada tipo de despesas financeiras!

Despesas fixas

De maneira simples, as despesas fixas são aqueles gastos que independem do nosso nível de consumo. Ou seja, por mais que você utilize do produto ou serviço etc., não será preciso pagar nada a mais do que o esperado.

Por exemplo, ao assinar um plano de internet ou comprar um celular novo parcelado, você está adquirindo uma despesa com um custo fixo.

Exemplo de despesas fixas

O custo é fixo pois, ao fechar o contrato e passar o seu cartão de crédito para efetivar suas compras, você teve conhecimento do valor mensal a ser pago para manter seu plano de internet e o valor a ser pago mensalmente até a última parcela do seu móvel.

Sendo assim, uma despesa que não sofre alteração à medida em que você consome mais ou menos de um bem ou serviço, é um tipo de despesa fixa.

Principais exemplos de despesas fixas:

  • Conta de aluguel;
  • Taxa de condomínio;
  • Mensalidade da academia e internet;
  • Assinaturas de serviços de streaming;
  • Assinatura de TV a cabo;
  • Plano de celular pré-pago;
  • Parcela de um empréstimo ou financiamento;
  • Prestação de um automóvel; etc.

Lembrando que este tipo de despesa é fixo porque não sofre alteração à medida em que você consome, frequenta ou usufrui daquilo que está tendo acesso.

Despesas variáveis

Ao contrário das despesas fixas, chamamos de despesas variáveis aquelas que sofrem variação no preço conforme você consome ou usufrui do bem ou serviço.

Por exemplo, um tipo de despesa variável que costuma ser considerada fixa é a conta de energia.

Exemplo de despesa variável

Afinal, mesmo que tenhamos que arcar com os gastos com energia mensalmente, a conta de energia sofre variação conforme o nosso consumo.

Em outras palavras, quanto maior for o seu consumo de energia, maior a sua conta de energia, e vice-versa. Sendo assim, a conta de energia varia conforme o nosso consumo aumenta ou reduz.

Principais exemplos de despesas variáveis:

  • Conta de água e energia;
  • Plano de celular pós-pago;
  • Gastos com alimentação, transporte e lazer; etc.

Lembre-se que esse tipo de despesa é variável porque sofre variação no preço conforme você aumenta ou reduz o consumo!

Diferença entre despesas fixas e variáveis

Como explicado anteriormente, a principal diferença entre uma despesa fixa e uma variável está relacionada ao nosso custo versus consumo.

Imagem que representa a diferença entre despesas fixas e variáveis
Imagem que representa a diferença entre despesas fixas e variáveis

Em síntese, quando o custo da nossa despesa depende do nosso consumo, possuímos uma despesa variável.

Entretanto, vale ressaltar que é possível fazermos uma média do valor a ser pago mensalmente com base nos gastos dos meses anteriores.

Ou seja, conseguimos fazer uma previsão do valor gasto com despesas que se repetem no nosso dia a dia.

Assim, por meio do controle financeiro, conseguimos planejar melhor a vida financeira.

Como calcular despesas fixas e variáveis?

Para calcular o valor de despesas fixas bem como o valor médio gasto com despesas variáveis, você precisa acompanhar suas transações financeiras por pelo menos um mês.

Pois, somente assim conseguirá fazer uma previsão mais assertiva do que de fato costuma gastar e como isso impacta seu saldo final.

Portanto:

  1. Escolha um gerenciador financeiro (App, planilha de gastos ou caderno);
  2. Registre tudo o que entra e sai do seu bolso (carteira, contas bancárias…);
  3. Seja específico no valor gasto e tipo de despesa;
  4. Ao fim do mês, analise suas despesas;
  5. Identifique seus gastos fixos e variáveis;
  6. Faça uma lista ou coloque uma tag em suas despesas;
  7. Conheça o valor médio gasto com cada tipo de despesas.

Como gerenciar as despesas

Gerenciar suas despesas pode ser mais simples do que você imagina, além de ser uma atitude primordial quando o assunto é saúde financeira.

No entanto, é algo que necessita de conhecimento da sua parte sobre o que entra e sai de suas contas.

Tendo em mente os dois conceitos que diferenciam despesas fixas e variáveis, o ideal é que você utilize uma ferramenta ou plataforma de controle de gastos para gerenciar suas despesas.

Nessa plataforma, você deve registar sua receita líquida mensal, livre de impostos e descontos, e fazer o controle da saída do seu dinheiro.

Confira abaixo o melhor aplicativo de controle financeiro:

No caso das despesas fixas é muito mais simples colocar em seu orçamento quais são e quanto elas custam em seu planejamento financeiro.

Depois disso, ativar lembretes de alertas para suas despesas irá te auxiliar para que você não esqueça de efetivar seus pagamentos ou qual a origem dos seus gastos.

Quando o assunto são despesas variáveis, é preciso que você tenha mais atenção para registar o valor pago.

Com base nos meses anteriores, é importante analisar se houve aumento ou redução nas despesas

Em caso de aumento, você deve buscar formas de economizar dinheiro e reduzir seus custos com esse tipo de despesa.

Aprendendo a classificar suas despesas e fazendo o controle de quanto você ganha e gasta você se aproxima dos seus objetivos financeiros.

Por isso, saiba dar importância ao gerenciamento do seu dinheiro!

Planilha de despesas fixas e variáveis

Além dos apps de gestão financeira, temos outra boa opção mais automatizada para identificar e controlar as nossas despesas fixas e variáveis.

As planilhas financeiras são grandes amigas de quem não curte os apps para o dia a dia, mesmo que deem um pouco mais de trabalho.

Planilha de despesas fixas e variáveis
Planilha de controle das despesas fixas e variáveis

Com ajuda da nossa planilha de controle de despesas fixas e variáveis você conseguirá gerenciar seus gastos do dia a dia.

Transformando despesas variáveis em despesas fixas

Devido seu valor estar atrelado ao seu consumo, as despesas variáveis podem se tornar grandes vilãs das suas finanças.

Por isso, transformar despesas variáveis em despesas fixas pode ser uma alternativa para você que quer ter um maior controle sobre os seus gastos e não quer ter surpresas no pagamentos de contas ou fechamento do mês.

Para transformar despesas variáveis em fixas você precisa conhecer outras opções para o seu consumo, como trocar um plano de celular pós-pago por um pré-pago.

Uma outra alternativa consiste em reduzir seus gastos diminuindo a frequência com que compra comidas por delivery, vai a restaurantes ou utiliza aplicativos de transporte, por exemplo.

Pois, quanto menos você utiliza de serviços ou outro tipo de despesa variável, maiores são as chances de você acertar o valor dos seus gastos.

Importância de classificar despesas em fixas e variáveis

Para um bom controle do seu dinheiro é fundamental conhecer quais são as suas despesas.

Com este conhecimento é muito mais fácil fazer um plano financeiro mais próximo da sua realidade financeira e da quantia necessária para manter seus gastos mensais.

Por esse motivo, para colocar um teto de gastos mensal é preciso antes classificar suas despesas em fixas e variáveis.

Com o auxílio de um papel e caneta, planilha ou de um gerenciador financeiro como o Mobills, você consegue entender quanto e como está gastando seu dinheiro.

Dessa forma, ao finalizar seu plano financeiro conhecendo seus custos fixos e variáveis, terá consciência da sua capacidade de consumo.

Por exemplo, ao estimar seus gastos, é possível saber qual será o seu saldo no fim do mês.

Classificando suas despesas é possível saber também quando você deve poupar mesmo ganhando pouco para manter o seu balanço financeiro, diferença entre receitas e despesas, no verde.

Dicas para reduzir ou eliminar despesas

Além de classificar suas despesas em fixas e variáveis, diferenciar suas despesas essenciais de desejos pessoais ou supérfluos é uma tarefa que vai te ajudar a reduzir ou eliminar despesas.

Ou seja, se você possui gastos elevados com desejos pessoais ou supérfluos é hora de eliminá-los ou fazer escolhas mais inteligentes, como a compra de bens com um melhor custo-benefício.

Essa troca ou abdicação pode parecer difícil no começo, mas saiba que os benefícios trazidos por essas novas escolhas têm o poder de transformar a sua vida financeira para melhor.

Confira outras boas dicas:

  • Faça listas de compras;
  • Economize água e energia;
  • Utilize a técnica D.I.Y ou Faça você mesmo;
  • Troque planos de internet e TV;
  • Utilize menos serviços de transporte privado;
  • Cuidado com os pequenos gastos; etc.

Continue aprendendo!

Neste artigo você aprendeu a principal diferença entre despesas fixas e variáveis e ainda viu exemplos práticos do nosso dia a dia onde elas se aplicam.

Agora, para que a diferença se concretize também em seu balanço financeiro mensal, que tal classificar e analisar suas despesas?

Tudo o que você aprende sobre educação financeira tem o poder de refletir positivamente em sua vida. Por isso, não esqueça de praticar o que aprendeu.

Temos certeza de que essas dicas serão úteis e acrescentarão bastante na sua forma de montar e avaliar efetivamente a sua vida financeira.


Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


4 comentários publicados nesse artigo
    09/08/2021 às 20:58

    Mesmo com valor baixo é possível seguir essa sequência 50,30 e 20?

      09/08/2021 às 22:09

      Com certeza, Ronaldo. A única exceção a essa regra é quando sua renda é muito baixa ao ponto de você não conseguir poupar 20%.

    15/08/2020 às 11:01

    Bom artigo! Agora uma dúvida: existe aquela questão de 50%, 30% e 20%. Busco seguir esta linha para organização do orçamento e sempre incluo água, luz, como gastos de moradia pq pra mim isso são contas essenciais. E contas variáveis (30%) estão inclusos sim o crédito pre pago, alimentação.. Nesse caso, como ficaria essa organização? De despesas essenciais, fixas e variáveis?

      15/09/2020 às 15:51

      Oi, Felipe! Tudo bem? Esse método costuma ser mais eficaz distribuindo nossa renda dessa maneira: 50% para gastos essenciais, 30% para gastos não essenciais e 20% para investimentos ou pagamento de dívidas, se houver. Em ambas as categorias, essenciais ou não, vamos ter despesas fixas e variáveis. Conhecer quais são elas nos ajuda a fazer um orçamento mais realista. Espero ter sanado sua dúvida! Precisando, conte com a gente. 💚

🤔 Tem dúvidas ou dicas? Comenta aqui, que nossos especialistas respondem!

Notifique-me de novos comentários via e-mail.

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.


Você também vai gostar...


Escrito por Carlos Terceiro CEO da Mobills

Apaixonado por finanças e investimentos, em 2014 Carlos Terceiro decidiu unir sua paixão com seu conhecimento em tecnologia para fundar o Mobills.

  • Pós graduação em finanças na PUCRS;
  • Graduado em desenvolvimento de sistemas na Estácio;
  • Investidor a mais de 10 anos.
.