Melhores Melhores Melhores Ferramentas Ferramentas Ferramentas Mobills Mobills

Como investir em startup? Confira maneiras!

Saiba como investir em uma startup e aproveite um negócio emergente, com grande potencial.

Artigo escrito por Equipe Mobills em 23 de Junho de 2024

Investir em startups tornou-se uma estratégia popular para muitos investidores que buscam diversificar seus portfólios e obter retornos significativos. 

No entanto, esse tipo de investimento também pode ser arriscado. 

Por isso, é fundamental entender como funciona o processo de investimento em startups, os principais desafios e as melhores práticas para ter sucesso.

Boa leitura!

VEJA TAMBÉM: Como criar uma startup? Aprenda tudo sobre o assunto!

Como investir em Startups?

Antes de colocar qualquer dinheiro em uma startup, é crucial entender como esse mercado funciona.

Isso inclui ler livros, participar de seminários, assistir a webinars e conversar com outros investidores experientes. 

Existem várias plataformas online, como AngelList, Crunchbase e PitchBook, que oferecem informações detalhadas sobre startups e tendências de investimento, ajudando os investidores a tomar decisões mais informadas.

Além disso, definir objetivos claros e uma estratégia de investimento é o próximo passo essencial. 

Cada investidor deve determinar seus objetivos de investimento específicos, como o retorno esperado, o período de tempo para ver esses retornos e o nível de risco que está disposto a assumir. 

É importante decidir quanto capital está disponível para investir e qual parte desse capital será destinada a startups. 

Lembre-se que uma estratégia bem definida ajuda a orientar as decisões de investimento e a manter o foco durante todo o processo.

A identificação de oportunidades de investimento é outra etapa crucial. Existem várias maneiras de encontrar startups promissoras. 

Plataformas de investimento em startups, como Seedrs, Crowdcube e StartEngine, permitem que investidores descubram novas empresas que estão levantando capital. 

Além disso, participar de eventos de pitch, conferências de startups e se envolver em redes de investidores anjo pode abrir portas para oportunidades únicas e valiosas. 

Estar presente nesses ambientes ajuda a construir um network sólido e a obter informações exclusivas sobre novas tendências e oportunidades.

Avaliar startups é talvez a parte mais complexa e crítica do processo de investimento. 

É essencial realizar uma due diligence rigorosa, examinando a equipe fundadora, o modelo de negócios, o mercado-alvo, a competição, a tração inicial e as projeções financeiras. 

A equipe fundadora deve ter habilidades complementares e uma visão clara para a empresa. 

O modelo de negócios precisa ser escalável e capaz de gerar lucros. O mercado-alvo deve ser grande o suficiente para suportar o crescimento da startup. 

Entender esses fatores ajuda a avaliar o potencial de sucesso da startup e a tomar decisões de investimento mais seguras.

Após a avaliação, a decisão de investimento deve ser tomada com base nas informações coletadas. 

Uma vez feito o investimento, o acompanhamento e suporte contínuo à startup são essenciais. 

Muitos investidores se envolvem ativamente com as startups em que investem, oferecendo orientação, conselhos estratégicos e acesso a redes de contatos. 

Esse suporte pode ser crucial para o sucesso da startup, ajudando-a a superar desafios e a crescer de forma sustentável. 

A relação entre o investidor e a startup deve ser colaborativa, com comunicação aberta e transparente.

Sendo assim, investir em startups exige uma abordagem proativa, educada e estratégica. 

O que são startups?

Caso nunca tenha escutado falar, as startups são empresas emergentes que geralmente estão em estágio inicial de desenvolvimento. 

Elas são caracterizadas pela busca incessante por inovação, com o objetivo de criar novos produtos ou serviços que possam transformar mercados ou até mesmo criar novos nichos. 

Diferentemente de empresas tradicionais, que operam com modelos de negócios estabelecidos e previsíveis, as startups frequentemente exploram ideias disruptivas e modelos de negócios escaláveis.

O que acaba permitindo um crescimento rápido e significativo do negócio.

Além disso, essas empresas emergentes são tipicamente fundadas por empreendedores que identificam lacunas no mercado ou oportunidades para resolver problemas de maneiras inovadoras. 

As startups focam em desenvolver uma solução que possa ser amplamente adotada e que tenha o potencial de se expandir rapidamente. 

Esse processo muitas vezes envolve experimentação e interação, com a empresa ajustando seu produto, serviço ou modelo de negócios com base no feedback do mercado e nos dados coletados.

Qual a principal característica de uma startup?

Entretanto, uma característica das startups é a incerteza. Elas operam em um ambiente de alto risco, onde a probabilidade de falência é significativa. 

No entanto, essa mesma incerteza é o que pode levar a altos retornos para os investidores que apostam nas startups certas. 

O sucesso de uma startup não é garantido e depende de uma combinação de fatores, incluindo a qualidade da equipe fundadora, a execução da ideia, a receptividade do mercado e a capacidade de escalar rapidamente.

Além disso, startups frequentemente procuram financiamento externo para crescer. 

E esse financiamento pode vir de diversas fontes, como investidores anjo, capital de risco, crowdfunding ou até mesmo programas de aceleração. 

Os investidores, por sua vez, buscam startups que mostram potencial para crescimento exponencial e que possam gerar retornos significativos sobre o investimento inicial.

Por que investir em startups?

Em primeiro lugar, o potencial de altos retornos é um dos principais motivadores. 

Quando uma startup se torna bem-sucedida, os ganhos para os investidores podem ser substanciais, muitas vezes superando os retornos obtidos em investimentos tradicionais como poupança, ações e títulos. 

Por exemplo, startups como Uber, Airbnb e WhatsApp, proporcionaram retornos extraordinários aos seus investidores iniciais.

E para se ter uma ideia, grande parte das pessoas nem sabem que estas grandes empresas um dia já foram startups.

Além dos altos retornos, investir em startups permite uma diversificação significativa do portfólio de investimentos. 

Ao incluir startups em um portfólio diversificado, os investidores podem equilibrar o risco de seus investimentos. 

As startups, apesar de arriscadas, operam em setores variados e com modelos de negócios inovadores que podem não estar correlacionados com o desempenho do mercado tradicional. 

Essa diversificação pode ajudar a proteger o portfólio contra as flutuações do mercado e melhorar as chances de ganhos consistentes a longo prazo.

Outro motivo importante para investir em startups é a oportunidade de contribuir para a inovação e o progresso tecnológico. 

Startups são frequentemente motores de inovação, introduzindo novas tecnologias, produtos e serviços que podem transformar indústrias inteiras. 

Ao investir nelas, os investidores não só têm a chance de obter retornos financeiros, mas também podem sentir a satisfação de apoiar o desenvolvimento de soluções inovadoras que podem melhorar a vida das pessoas e resolver problemas significativos. 

Esse aspecto pode ser particularmente atraente para aqueles que têm um interesse pessoal ou profissional em áreas específicas de inovação e tecnologia.

Investir em startups também oferece a possibilidade de estar envolvido no crescimento e desenvolvimento de novas empresas desde o início.

Muitos investidores se tornam mentores ou conselheiros, contribuindo com sua experiência e conhecimento para ajudar as startups a navegar pelos desafios iniciais e a alcançar o sucesso. 

Esse envolvimento direto pode ser gratificante e fornecer uma perspectiva única sobre o empreendedorismo e a criação de negócios.

Por fim, o mercado de startups oferece uma dinâmica e energia que muitas vezes estão ausentes em setores mais maduros. 

Para muitos investidores, a combinação de potencial de altos retornos, diversificação de portfólio, contribuição para a inovação e envolvimento direto faz com que investir em startups seja uma oportunidade atraente e valiosa.

Quais são os riscos e desafios ao investir em startups?

Um dos riscos mais significativos é o alto índice de falência. 

Muitas startups não conseguem atingir seus objetivos de crescimento e acabam falindo, o que pode resultar em perdas totais para os investidores. 

Estatísticas mostram que a maioria das startups não sobrevive aos primeiros anos de operação, o que torna esse tipo de investimento particularmente arriscado.

A liquidez limitada é outro desafio importante ao investir em startups. Diferentemente de ações de empresas públicas que podem ser compradas e vendidas facilmente no mercado de ações, os investimentos em startups geralmente são ilíquidos.

Isso significa que os investidores podem não conseguir vender suas participações até que a empresa seja adquirida ou faça uma oferta pública inicial (IPO), o que pode levar muitos anos ou, em alguns casos, nunca acontecer. 

Essa falta de liquidez pode ser uma desvantagem significativa, especialmente para aqueles que podem precisar acessar seu capital em curto prazo.

Outro risco é a avaliação incerta das startups. Avaliar corretamente o valor de uma startup é uma tarefa desafiadora devido à falta de histórico financeiro e à natureza especulativa de suas projeções de crescimento. 

As avaliações podem ser altamente voláteis e baseadas em suposições que podem não se concretizar. 

Isso pode levar a situações onde os investidores pagam mais do que o valor real da empresa, resultando em perdas financeiras.

Além disso, o mercado de startups é extremamente competitivo e dinâmico. Novas startups estão constantemente surgindo, e as empresas existentes precisam inovar continuamente para manter sua posição no mercado. 

Isso significa que uma startup pode rapidamente se tornar obsoleta se não conseguir acompanhar o ritmo da inovação e das mudanças nas preferências dos consumidores. 

Para os investidores, isso adiciona um nível extra de risco, já que uma empresa que parece promissora hoje pode enfrentar dificuldades inesperadas amanhã.

Outro desafio é a dependência de uma equipe fundadora forte e competente. O sucesso de uma startup frequentemente depende das habilidades, experiência e visão de seus fundadores. 

Se a equipe fundadora não conseguir executar seu plano de negócios de maneira eficaz, a startup pode falhar independentemente da qualidade da ideia ou do produto. 

Vale destacar que os conflitos internos entre os fundadores ou a saída de membros-chave da equipe podem prejudicar significativamente as perspectivas de crescimento da empresa.

Regulamentações e questões legais também podem representar desafios para startups e seus investidores. 

Dependendo do setor em que a startup opera, ela pode precisar navegar por um complexo conjunto de regulamentações que podem mudar rapidamente. 

O não cumprimento dessas regulamentações pode resultar em multas, sanções ou até mesmo no fechamento da empresa. 

Para os investidores, isso significa que precisam estar cientes das questões legais e regulatórias que podem afetar suas participações.

Por fim, a volatilidade econômica geral pode impactar negativamente as startups. 

Durante períodos de recessão econômica ou instabilidade financeira, pode ser mais difícil para as startups levantar capital adicional, atrair clientes e manter o crescimento. 

Investidores precisam estar preparados para esses ciclos econômicos e considerar como a volatilidade macroeconômica pode afetar seus investimentos em startups.

Santander Select – Investimentos

Para quem quer investir com segurança e tranquilidade, a conta Select, do Santander, oferece benefícios para o público investidor.

Por isso, não perca tempo e abra a conta voltada para clientes alta renda, aproveitando todos os benefícios oferecidos pelo Banco Santander.

Vale a pena investir em startups?

Investir em startups pode ser potencialmente lucrativo, mas também há  riscos e incertezas. 

Sendo assim, essa é uma oportunidade de participar do desenvolvimento de ideias inovadoras e de apoiar empreendedores visionários que estão moldando o futuro. 

No entanto, o sucesso neste campo exige mais do que apenas capital, requer uma compreensão profunda do mercado, uma avaliação criteriosa das oportunidades e uma estratégia bem definida.

Portanto, se está disposto a aprender, a assumir riscos calculados e a se comprometer com o crescimento e o sucesso de novas empresas, investir em startups pode ser uma adição valiosa à sua estratégia de investimento. 



Escrito por Equipe Mobills Redator Web

Por trás da Mobills temos um time de sonhos, de coragem, criatividade e inovação, unido por um propósito em comum: gerar liberdade financeira.

Você também vai gostar


.
.