Leasing

Também conhecido como arrendamento mercantil, pode ser entendido como uma forma especial de se comprar um bem a prazo. No leasing, o cliente utiliza o bem comprado, mas quem tem a real propriedade do bem é o banco que viabilizou a compra, ou seja, o cliente não se torna o dono efetivo do bem até que termine de pagar as prestações que deve ao banco. Portanto, pode-se dizer que o leasing funciona, na prática, como um aluguel, com a diferença de que, ao término do contrato, a propriedade do bem alugado pode vir a ser do cliente. O exemplo mais comum é o da compra de um carro por meio de leasing, onde o nome do banco é que aparece no campo “nome” do documento do carro, porque o banco é o proprietário real do automóvel. No final do contrato de leasing, você pode pagar um valor residual e passar a ser efetivamente o dono do veículo. Vale lembrar que se o consumidor não pagar as parcelas em contratos de leasing, o bem volta para a instituição que viabilizou a compra e depois é comercializado. Se o valor da venda for inferior ao que está descrito no contrato, o cliente ainda tem que arcar com a diferença, porém, obviamente que são descontadas as contraprestações já pagas pelo cliente.