Juros

É o valor que tem que ser pago por “deslocar” o dinheiro no tempo. Dessa forma, para emprestar a um cliente, no momento atual, certa quantia de dinheiro que ele só poderia ter no futuro e depois de passar um tempo poupando, as instituições financeiras cobram o pagamento não apenas da quantia emprestada, mas também de um valor adicional. Esse valor pago além da quantia emprestada são os juros. Pensando de maneira inversa, se o cliente depositar a mesma quantia em alguma aplicação do banco, receberá um valor maior quando fizer o resgate tempos depois. Nesse caso, o banco que é o responsável por pagar os juros, uma vez que que só irá devolver no futuro o dinheiro que recebeu em depósito no presente. Para facilitar o entendimento, os juros também podem ser comparados a um “aluguel”, onde alguém paga um valor por usar um dinheiro que não é seu (por exemplo, quando se faz um financiamento, pega um empréstimo ou compra a prazo) ou o “aluguel” que uma pessoa recebe por deixar outra pessoa utilizar o seu dinheiro (por exemplo, quando se coloca o dinheiro na poupança, para ser utilizado pelo banco).