Na hora de juntar dinheiro, é importante estruturar toda a rotina e alterar hábitos que, de forma simples, são capazes de mudar a vida de muitas pessoas!

Como juntar dinheiro rápido? Aprenda a economizar agora mesmo!

Se você está em busca de formas de juntar dinheiro rápido, mas ainda não conseguiu, é importante repensar a sua rotina e hábitos.

Isso acontece por um simples motivo. 

Muitas pessoas desejam sair das dívidas, organizar as contas e ter uma vida financeira mais saudável, mas não chegaram a abrir mão de alguns hábitos nocivos.

Sabendo disso, fizemos um conteúdo completo que vai te ajudar a entender quais são esses hábitos e, mais do que isso, as melhores formas de alterá-los para melhor.

Você será capaz de entender o poder que pequenas atitudes têm na hora de organizar suas finanças. Com isso, poderá conquistar sonhos, como juntar dinheiro para comprar uma casa ou fazer aquela viagem tão desejada! 

A importância de juntar dinheiro

Quando pensamos na educação financeira brasileira, podemos dizer que uma quantidade muito grande de pessoas não foi preparada desde a infância para lidar com o dinheiro de forma saudável.

O que isso significa, de forma prática?

Em primeiro lugar, maior possibilidade de endividamento. Em abril de 2020, 58% dos brasileiros deixaram de pagar alguma dívida. De forma proporcional, são quatro contas sem pagar por pessoa. 

Este número é preocupante e aponta uma questão sistemática, que vem desde a carência de ensino sobre educação financeira na escola e vai até a realidade das famílias do nosso país. 

Sabendo disso, juntar dinheiro é muito importante para que estejamos preparados para arcar com as contas que chegam todos os meses e, mais do que isso, não trabalharmos apenas para pagar as dívidas.

Infelizmente a realidade de muitas pessoas é “dar duro” no trabalho durante todo o mês e, quando o salário chegar, ver todo o dinheiro indo embora para pagar aquele amontoado de boletos que acumularam.

Dessa maneira, quando estabelecemos uma mentalidade com foco em juntar dinheiro e ter um controle maior das finanças pessoais, tenha certeza que até mesmo o seu trabalho pode ficar mais prazeroso.

Um outro ponto positivo é a possibilidade de realizar aqueles sonhos que por tanto tempo foram postergados. Com controle, organização e força de vontade, tenha certeza que você estará muito mais perto de tirá-los do papel.

Por fim, gostaríamos de ressaltar que a pergunta “como juntar dinheiro ganhando pouco”, algo que aflige tantas pessoas, tem uma resposta, e você também é capaz de realizar grandes sonhos.

Todos esses pontos que falamos até agora são muito importantes para que você possa entender a importância de juntar dinheiro e colocar em prática tudo o que vamos ensinar por aqui.

Vamos lá?

Como juntar dinheiro rápido: 11 dicas essenciais!

1. Separe as despesas fixas das extras

Em um primeiro momento, é muito importante entender quais são aqueles gastos que você precisa fazer todo mês e quais são opcionais.

Quando pensamos no orçamento da casa, logo lembramos daqueles mais importantes — e que não podem ser esquecidos de forma alguma — como luz e água, além de:

  • aluguel;
  • impostos;
  • custos com educação;
  • saúde;
  • alimentação;
  • contas fixas mensais.

Depois de listar todos esses gastos, é hora de anotar o valor que eles costumam ter mensalmente. Aí você conseguiu se planejar muito bem, mas precisa agora entender como andam as despesas extras.

Elas são literalmente tudo o que você não “precisa” comprar mensalmente. Podem ser as saídas no final de semana, compras no shopping, presentes e qualquer outro gasto que eventualmente possa aparecer.

A ideia, depois de entender como andam seus gastos extras e seu perfil de compra, é estipular um teto máximo, ou seja, um orçamento limite para que você não extrapole o valor durante os meses.

Com o limite, você consegue separar uma quantidade interessante de dinheiro para poder juntar!

2. Registre todos os seus gastos

O hábito de registrar todos os gastos deve ser visto como uma espécie de “mantra” na sua rotina.

Caso contrário, como será possível entender para onde vai o seu dinheiro e, a partir daí, traçar ótimos planos de ação?

A verdade é simples. Você só será capaz de se organizar financeiramente para juntar dinheiro rápido caso conheça cada passo das suas finanças.

Dessa forma, ao entender seus hábitos de gastos e perfil de comprador, poderá rever exageros, compras desnecessárias e fazer economias em algumas categorias que permitem uma diminuição nos gastos.

Sobre a forma de registrá-los, fica ao seu critério. Você pode usar uma planilha, agendas ou contar com a tradicional calculadora, mas acreditamos que, hoje em dia, as melhores opções são os aplicativos de finanças.

Com eles, você consegue catalogar todas as suas despesas, analisar as categorias de gastos, criar objetivos para poupar e caminhar rumo a uma vida financeira muito mais organizada.

Com o app Mobills, podemos te ajudar na tarefa de juntar dinheiro rápido, fácil e até mesmo ganhando pouco! 

Além disso, sempre que pensar em fazer alguma compra, algo que ajuda muito é abrir o aplicativo e entender como andam as finanças naquele mês.

Acredite: muitos gastos desnecessários são evitados ao fazer uma simples análise do que já foi usado até agora!

3. Crie “metas” para poupar

Assim como você criou um orçamento para suas despesas fixas e extras, também deve calcular uma quantidade interessante de valor que será juntado.

Dessa forma, você terá mais disciplina na hora de separar o dinheiro para guardar, entendendo também o quanto falta para chegar na meta e se em algum mês não será possível batê-la.

Especialistas acreditam que o mínimo juntado deve ser mais ou menos 10% da sua renda líquida mensal – renda descontada de impostos.

De toda forma, o ideal é que, se possível, você junte a maior quantidade possível para que dessa forma possa juntar dinheiro mais rápido. 

Se você não sabe calcular o seu salário líquido, temos uma calculadora que pode te ajudar neste processo

Caso esteja em momentos de dificuldade financeira e os 10% ideais seja uma porcentagem muito alta para o seu orçamento atual, inicie com o quanto puder.

O importante é sair do lugar e tomar a decisão de começar a poupar. Com o tempo, na medida em que suas contas forem se organizando e você se tornar alguém cada vez mais controlado, a porcentagem pode aumentar!

4. Trabalhe com planejamentos periódicos

Lembra o que falamos sobre a criação de orçamentos?

A partir desse planejamento financeiro mensal, faça acompanhamentos periódicos para entender a evolução dos seus gastos. Veja nosso exemplo para visualizar na prática:

Se você definiu que terá R$500 reais para gastar com supermercado, separe um dia em cada semana para se planejar.

Com isso, entenda quais compras serão feitas, qual é a necessidade para os próximos 7 dias e lembre-se do restante do mês. 

A periodicidade não precisa ser necessariamente de uma semana. Basta encontrar um período interessante e fazer o acompanhamento mais de perto.

Damos essa dica porque muitas vezes algumas pessoas podem se planejar no início do mês, mas acabam gastando todo o orçamento previsto nos primeiros dias. 

A partir daí, o que acontece é uma espécie de “bola de neve” que prejudica a construção do planejamento.

5. Tome muito cuidado (mas muito mesmo) com as taxas de cartão de crédito

Um cheque especial aqui, outro ali, um juros do cartão de crédito acolá. Quando você menos espera, deverá pagar taxas abusivas — e que poderiam ser evitadas — que não param de aumentar.

Por isso, evite ao máximo usar o cheque especial (se possível, não use nunca) e pague sempre as contas em dia.

Se você ver que aquela compra vai te fazer entrar nesse beco sem saída, o melhor é avaliar se ela precisa necessariamente ser feita neste mês ou se é possível aguardar.

Na maioria das vezes, vale muito mais a pena passar por um pequeno período de dificuldade — ou sem comprar algo que gostaria muito — para evitar os juros abusivos do cartão. 

6. Compare os preços

Muitas vezes, a nossa preguiça pode ser a maior inimiga dos planos de juntar dinheiro e sair das dívidas.

Isso acontece por um motivo muito simples. O mesmo produto conta com preços extremamente diferentes de acordo com as lojas.

Enquanto um celular pode custar R$1.500 em um estabelecimento, é possível encontrar o mesmo modelo por R$1.000 em outros lugares.

Para isso, basta ter paciência e pesquisar na maior quantidade de locais possíveis.

Uma outra prática de comparação pode ser adotada no seu dia a dia. Ao ir ao supermercado, sempre fique de olho nas marcas que são mais em conta ou naquelas que estão em promoção.

Sair da zona de conforto e começar a comparar preços é uma ótima forma de guardar dinheiro.

7. Corte os gastos desnecessários

De pouco em pouco, você provavelmente já comprou várias coisas desnecessárias e só reparou no fim do mês. Acertei?

A atitude é extremamente comum, afinal somos seres humanos e muitas vezes deixamos a emoção tomar conta do cartão de crédito.

De toda forma, se você está em busca de juntar dinheiro e usá-lo de forma mais inteligente, deverá ter plena noção de que os gastos supérfluos precisam ser cortados.

Para isso, existem alguns exercícios comportamentais que podem ser aplicados na rotina.

Antes de comprar algo, não se leve pela rapidez do dia a dia. Respire fundo, faça uma pausa de 3 minutinhos e pergunte a si mesmo se você realmente precisa fazer aquela compra.

Se for comprar uma bolsa, por exemplo, pegue todas as bolsas que você já tem em casa. Olhe para elas, entenda se realmente precisa de mais uma e pense em que a nova compra iria agregar — de verdade — para a sua rotina.

O mesmo vale para serviços, experiências ou qualquer outro tipo de gasto. Use a sua consciência e reflita se, dentro das suas condições financeiras, é interessante comprometer a renda com aquele gasto.

8. Se organize ao fazer compras parceladas

Compras parceladas não são tão ruins quanto o imaginado. O problema é quando elas são feitas sem planejamento e comprometendo o orçamento.

Para falar a verdade, elas são uma excelente opção caso você tenha condições de manter o controle!

No mundo ideal, funciona da seguinte maneira.

Você comprou algo de R$900 e vai dividir de três vezes. Ou seja: nos próximos três meses, terá R$300 reais do orçamento comprometido.

Ao invés de se esquecer dos R$900 e achar que tem dinheiro suficiente para gastar ainda mais, separe o valor que seria pago e deixe ele rendendo.

Hoje em dia, no Nubank, você pode deixar o seu dinheiro parado e ele já rende 100% do CDI. 

9. Faça a sua reserva de emergência

Antes de fazer grandes compras ou até mesmo se planejar para realizar sonhos, é fundamental ter a sua reserva de emergência definida.

O valor ideal terá total conexão com a quantidade de dinheiro que você recebe todo mês, e especialistas têm opiniões diferentes sobre o montante a ser juntado.

A ideia, de forma geral, é ter um valor suficiente para manter o seu padrão de vida por no mínimo seis meses. 

Em um mundo ideal, o valor deveria ser suficiente para pagar todas as contas por até um ano.

Sabendo disso, separar uma parcela do seu salário para construir essa reserva que é muito importante em casos de imprevistos, que chegam em nossa vida sem pedir licença. 

10. Crie metas e objetivos

Juntar dinheiro fica muito mais fácil quando temos metas e objetivos a serem cumpridos!

Dessa forma, a sua mentalidade estará direcionada no fato de que a cada centavo na conta, você estará mais próximo de realizar aquele sonho.

De toda forma, lembre-se que todos temos sonhos. “Ir para os Estados Unidos”, “comprar um carro”, “comprar uma casa” ou qualquer outro tipo de desejo deve ser mensurável.

Quanto custaria a sua viagem (aproximadamente)? Qual é o valor do seu carro dos sonhos?

Ao traçar qualquer tipo de meta, especialistas apontam a necessidade de deixá-las o mais detalhadas possível.

Assim, você terá uma noção extremamente prática do quanto está avançando naquela meta e como deverão ser seus planos de ação para chegar lá.

Uma outra dica interessante — e que pode acelerar o processo — é definir em quanto tempo você pretende juntar este dinheiro.

Lembre-se: quanto menor for o prazo, mais agressivas deverão ser as ações para juntar o dinheiro!

11. Esteja aberto a mudanças no meio do caminho

Algo muito importante na trajetória de juntar dinheiro é saber que no meio do caminho podem existir empecilhos ou surpresas positivas que desviam todo o planejamento já construído.

Por isso, você deve monitorar o progresso e avaliar aquelas ações que não estão dando tão certo.

Vamos para um exemplo. Se você definiu que precisa de R$10 mil até o final do ano, mas se passaram 3 meses e ainda não conseguiu juntar nada, talvez seja a hora de repensar esta meta.

Você pode diminuir a meta ou seguir com ela, entendendo que o valor a ser juntado mensalmente se tornou mais agressivo. Além dessas duas opções, existem uma série de planos de ação que podem ser traçados. 

De toda forma, entenda que eles só serão alcançados caso você esteja disposto a fazer as mudanças e seguir com o planejamento sem desanimar.

O caminho para juntar dinheiro rápido não é fácil e não existe receita de bolo. 

Além disso, entendemos o quanto a realidade de milhões de brasileiros é difícil, e não podemos dizer que “junta quem quer”, afinal existem uma série de empecilhos muito maiores do que a força de vontade.

De toda forma, se você tem condições de se manter no seu objetivo, mesmo que investindo pouco, siga firme. 

A sensação de chegar no final e ver que foi capaz de juntar uma quantidade de dinheiro é muito boa e será capaz para te preparar na hora de alçar voos mais longos. 

Bônus: respostas para perguntas frequentes sobre o tema

Agora que já exemplificamos algumas formas de juntar dinheiro, selecionamos as principais perguntas pontuais sobre o assunto e vamos responder uma por uma.

Dessa maneira, acreditamos que você será capaz de entender de forma mais prática o que é preciso para conquistar o objetivo em algumas situações específicas.

Vem ver!

Como juntar dinheiro ganhando pouco?

Entendemos que quando o assunto é educação financeira, muitos meios de informação acabam passando uma visão relativamente “privilegiada” sobre o assunto.

De toda forma, acreditamos que a resposta para esta pergunta é simples: comece por onde puder.

Se você recebe um salário mínimo e precisa sustentar a sua família, não precisa se cobrar para juntar aqueles 10% por mês. O segredo é não se comparar e adaptar sua rotina para o que é possível no momento.

Daqui a pouco, vamos mostrar algumas tabelas para juntar dinheiro começando com pouco.

Sabendo disso, pegue todas as dicas que damos aqui como base, adaptando cada uma delas dentro da sua rotina e possibilidades. Não se cobre demais! 

Juntar dinheiro no cofrinho: como posso fazer?

O ato de juntar dinheiro no cofrinho é uma maneira interessante de começar, principalmente se você ainda não pode comprometer muito a sua renda.

E, como é de se esperar, não tem segredo. Separe aquelas moedinhas de troco ou pequenas quantidades de valores que você não precisa usar no momento e vá alimentando o seu cofrinho.

A ideia é manter uma boa consistência para que ele vá “engordando”. Crie um prazo definido para quebrá-lo e, até lá, não mexa nele.

Somente em casos de emergências é ideal abrir o cofrinho, caso contrário, não conte com aquele dinheiro para nada!

De pouco em pouco, você vai se surpreender com a quantidade acumulada.

Como juntar dinheiro para comprar uma casa?

Usamos esta pergunta como exemplo, mas você pode substituir a palavra “casa” por qualquer outro sonho ou planejamento.

Poderia ser “como juntar dinheiro para viajar”, por exemplo. 

Em primeiro lugar, você já tem um objetivo financeiro, o que é ótimo! A partir daí, existem vários pontos minuciosos que devem ser observados, e tudo vai depender de uma questão: o valor final.

Vamos usar um exemplo, então. Se a sua casa custa R$50 mil e você quer juntar para pagar à vista, você já sabe o quanto precisará juntar.

Uma observação: compras a longo prazo devem levar em conta que daqui a alguns anos, o poder de compra terá mudado e este valor hoje provavelmente não vai comprar a mesma casa no futuro. 

Dessa forma, tenha sempre uma “gordura” na hora de fazer o cálculo.

Sabendo disso, precisa agora definir um prazo. Em quanto tempo espera ter o valor com você?

Já falamos sobre isso, mas vale ressaltar. Quanto menor for o prazo, mais agressivos serão os planejamentos mensais.

Pronto, agora você já tem dois grandes dados definidos. O valor e o tempo para juntar. Com eles, um terceiro número é conquistado: quanto deverá juntar por mês.

Com essas três informações, agora é hora de aplicar tudo o que falamos aqui neste conteúdo.

Reveja suas dívidas, corte gastos desnecessários, anote tudo, entenda como poderá juntar e, finalmente, veja o seu sonho chegando cada vez mais perto.

Lembrando que esta foi uma forma muito básica para falar sobre um assunto complexo. É papo para um outro momento, mas agora você já sabe por onde começar!

Como posso juntar dinheiro em 6 meses?

Para falar sobre juntar dinheiro em 6 meses, vamos falar sobre as tabelas. 

Você provavelmente já deve ter visto aqueles “desafios” famosos que te incentivam a juntar quantidades pequenas de dinheiro por um período que pode ser semanal/quinzenal/mensal.

E eles são uma das melhores formas de visualizar um prazo para juntar o seu dinheiro.

No caso deste exemplo, que é juntar dinheiro em 6 meses, você deve inicialmente ter em mente quanto quer ou precisa juntar. 

A partir daí, a conta é muito simples! Levando em conta que você precisa de R$2.000 neste período, é só dividir o valor por uma série de cenários que envolvem essa periodicidade. 

Veja os exemplos em valores aproximados:

  • R$333,00 por mês;
  • R$83,00 por semana;
  • R$10,98 por dia.

Com ele, você começa juntando muito pouco e vai aumentando de forma gradativa. É possível acumular até R$13.780 em um ano.

Conclusão

Agora que você nos acompanhou durante todo este conteúdo, primeiramente gostaríamos de te parabenizar.

Afinal, você está um passo mais perto de juntar dinheiro e ser capaz de realizar sonhos, além de conquistar a independência financeira que é tão importante na nossa vida.

Sabendo disso, gostaríamos de pontuar uma última coisinha. 

Esta tarefa é árdua e, principalmente, longa. Mesmo que você esteja em busca de formas de juntar dinheiro rápido, deverá colocar em prática o que aprendeu de forma diária. E muitas vezes, isso cansa!

Por isso, deve-se trabalhar a força de vontade e determinação. 

Todos os dias, entenda que esse plano de ação faz parte de algo maior e que, no final, toda a dedicação terá valido a pena! 

Comente, nos siga nas redes sociais e compartilhe este conteúdo!

O que achou do artigo “Como juntar dinheiro rápido? Aprenda a economizar agora mesmo!”?

Se gostou, então, cadastre-se na nossa Lista Vip para receber as novidades em primeira mão e compartilhe esse post com seus amigos e familiares que possam se interessar.

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas e deixe seu comentário!

Quer acompanhar nosso conteúdo no Instagram? Siga @mobillsedu!

Não deixe, também, de acessar o canal do Mobills no Youtube.


VEJA TAMBÉM:

Postado em: Economizar


Escrito por Carlos Terceiro

Carlos Terceiro, Fundador e CEO do Mobills, o aplicativo de finanças pessoais com o maior número de clientes no Brasil. Empreendedor movido pelo propósito de transformar a vida financeira dos brasileiros para melhor. Formado em análise de sistemas e Pós-graduando em Finanças e Investimentos pela PUCRS.


Hey, o que você achou desse conteúdo?

Inscreva-se
Notificar de
guest
2 Comentários
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments

    Junte-se a mais de 239.950 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

    Logo Mobills
    Mobills Google Play
    Mobills Apple Store
    Mobills Web